Rastreabilidade Bovina: entenda o conceito e aplicação prática

2.167 Visualizações
A rastreabilidade bovina é utilizado para identificar e registrar cada acontecimento da vida de um boi.

Para quem possui várias cabeças de gado, organizar e proteger os animais requer bastante cuidado para identificar todos os espécimes. É por isso que a rastreabilidade bovina, método determinado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), é uma excelente alternativa para ajudar fazendeiros e pecuaristas a ter um melhor controle e identificação de cada boi. Esse método faz a identificação individual e registra cada eventualidade que cada boi passa por toda a sua vida, de modo que o dono do gado tenha um gerenciamento rígido e eficaz tanto para compra como para venda.

Como funciona a rastreabilidade bovina?

Para que a rastreabilidade bovina funcione, é preciso que os pecuaristas estejam atentos às normas prescritas no Sistema de Identificação e Certificação de Origem Bovina e Bubalina (SISBOV). Todas as ações, precauções e estatutos necessários para comércio e proteção — tanto dos animais como da população — são detalhados nesse sistema.

Nesse sistema também é descrito como o rastreio deve funcionar, atualmente sendo o meio eletrônico a maneira mais adequada e utilizada. Cada boi recebe um chip eletrônico de identificação, colocado no brinco ou no rúmen (compartimento do estômago) do animal. Por meio de um sistema que o pecuarista tem acesso, os dados sobre cada animal são registrados na plataforma, podendo ser exportados para instituições privadas ou públicas.

Há outros tipos de rastreio, como as tatuagens ou marcações pelo fogo, mas a instalação do chip ainda é a mais indicada.

Cuidados necessários com a rastreabilidade

Algumas medidas precisam ser tomadas para que o rastreio seja feito corretamente. Mesmo que a alternativa eletrônica seja a mais confiável, ainda sim é preciso prevenir qualquer erro. Na hora da aplicação, os materiais utilizados precisam ser de qualidade e a equipe técnica a instalar o chip precisa estar preparada contra quaisquer casos em que o utensílio venha cair ou haja erros no rastreio.

A obediência às informações dos bois aos compradores e fornecedores deve ser exata, especialmente quanto aos aspectos sanitários. Vacinas, alimentação e origem do animal são informações importantes a serem armazenadas no sistema que o pecuarista terá acesso. A técnica também não deverá causar estresse no animal.

Rastreabilidade bovina: quais as vantagens do método?

A importância da rastreabilidade bovina possui várias frentes de vantagem. Por ser uma medida capaz de informar tanto os donos de gado como compradores e fornecedores sobre a distribuição dos produtos e seus derivados, a rastreabilidade bovina também garante que o pecuarista aja com legalidade e sem nenhuma irregularidade no comércio nacional e internacional.

Tendo esse controle mais de perto, o pecuarista consegue ter um lucro financeiro considerável, uma vez que a exportação de dados sobre o gado e compra de materiais de identificação requer um custo elevado. Com o sistema, as informações não são perdidas, pois o arquivamento é inteiramente digital.

Além disso, o controle sanitário é mais rígido, uma vez que os alertas sobre vacinas e melhorias quanto ao local de manejo são repassados ao dono por meio do sistema. Não só para o Brasil, mas o pecuarista também pode aproveitar a rastreabilidade bovina para exportar seus produtos.

Imagem: Jaap2 / iStock / Getty Images Plus