Shopping Eldorado cultiva legumes e verduras no telhado

709 Visualizações

Quando é hora da refeição e o cenário é uma praça de alimentação, é possível perder a fome ou até decidir parar por estar satisfeito. E aí, já imaginou o que acontece com as sobras que ficam no prato? Pensando nestas situações e em como diminuir o desperdício de alimento, o Shopping Eldorado resolveu usar restos de lanches para adubar a horta que cultiva em seu telhado.

Telhado verde
Shopping Eldorado. Foto: aec

Localizado no bairro de Pinheiros, São Paulo, o complexo comercial tem um histórico de preocupação com a preservação do meio ambiente, ao disponibilizar recipientes para que clientes e lojistas exerçam a coleta seletiva, adicionando medidas para reduzir o desperdício d’água, conscientizando funcionários e equipando as instalações do shopping com dispositivos que atuam na economia de recursos e espalhando alguns postos para o depósito de óleo de cozinha pelo local. Entretanto, as atividades ecologicamente corretas do Eldorado se tornaram mais efetivas após a implementação do programa de reciclagem de lâmpadas, pilhas e baterias.

Recentemente, o shopping decidiu aderir ao conceito do “telhado verde”, isto é, projetou em sua superfície uma horta de mil metros quadrados. Com a reutilização de 14 toneladas de produto orgânico como adubo, dando destino certo a 28% do volume mensal deste tipo de material. Simplificando, o que antes era considerado lixo agora pode contribuir para o plantio de hortelã, manjericão, pimenta, entre outros.

Shopping Eldorado - Telhado verde
Shopping Eldorado. Foto: kleitonxavier

Os benefícios que uma plantação pode proporcionar são animadores, pois, em um ano de cultivo, já rendeu três colheitas, sendo retirados 900 pés de alface e 400 berinjelas na última remessa, com distribuição aos funcionários do local. Além da produtividade de leguminosas, a ação gera oportunidade de emprego ao demandar profissionais para a produção e manutenção da lavoura.

Agindo desta forma, o Shopping Eldorado reduz a carga de substâncias em aterros sanitários, oferece trabalho na área de agricultura e ainda complementa as refeições de seus empregados. E tudo isso apenas com o reaproveitamento de um espaço que não costumava ter muita utilidade.