Indicadores e a sustentabilidade

341 Visualizações

Os indicadores são uma das ferramentas mais utilizadas atualmente para acompanhar a evolução da sociedade.

Como nas empresas, onde o desempenho é analisado por uma série de indicadores, como por exemplo, volume de vendas, ebitda, produtividade, a sociedade também busca compreender e comparar a evolução dos países.

Olhar a sustentabilidade na forma de indicadores não é uma tarefa fácil, pois muitos dos conceitos são difíceis de mensurar.

Sustainable
Foto: © Depositphotos.com / Olivier26

Um indicador deve dar um panorama com informações estratégicas sobre o aspecto social, ambiental e econômico que estamos buscando entender.

Para o indicador ser relevante é necessário que a sociedade considere importante seu resultado.

A importância de indicadores

O IDH – Índice de Desenvolvimento Humano é hoje um dos indicadores mais disseminados quando se deseja quantificar a evolução das sociedades. Ele foi criado em 1990, por Mahbub ul Haq com a colaboração do economista indiano Amartya Sen, ganhador do Prêmio Nobel de Economia de 1998, e seu objetivo é ser uma medida geral e sintética.

Atualmente, as três dimensões que constituem o IDH são saúde, educação e renda, e anualmente ele é divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD.

O IDH é um contraponto ao PIB (Produto Interno Bruto) que considera como medida de desenvolvimento apenas a dimensão econômica.

Apesar do avanço que representou para o acompanhamento da evolução sustentável da sociedade, o IDH é calculado como a média da população, mascarando as desigualdades.

Indicadores e sustentabilidade caminham juntos e possibilitam um entendimento melhor da realidade em que vivemos, por meio dos indicadores podemos estruturar programas e ações que contribuem para mudar o rumo da história.”

Claramente, não existe um único indicador que consiga resumir a sociedade como um todo. Como a concepção do indicador depende do levantamento dos dados, da transparência, padronização e veracidade das informações, da periodicidade que o cálculo é divulgado, ele está sempre sujeito a melhorias, tanto técnicas como nas dimensões que o compõem, pois a sociedade não é estática.

Além disto resumir todos os aspectos da sustentabilidade em um único número é limitar a realidade.

Mas apesar das limitações, uma análise relevante da situação que queremos monitorar construirá uma base consistente de indicadores que permitirá principalmente avaliarmos tendências, anteciparmos cenários e estabelecer objetivos.

Diferentes organismos nacionais e internacionais tem trabalhado no desenvolvimento e divulgação de bases de indicadores, como o PNUD, que disponibilizou a plataforma Atlas Brasil, com aproximadamente 180 indicadores para cada município do país.

Certamente os benefícios da utilização de indicadores suplantam os problemas existentes, tornando-se o começo do questionamento sobre os diferentes aspectos da sustentabilidade.

Indicadores e sustentabilidade caminham juntos e possibilitam um entendimento melhor da realidade em que vivemos, por meio dos indicadores podemos estruturar programas e ações que contribuem para mudar o rumo da história.