Australiano produz tijolos usando bitucas de cigarro

569 views
iStock.com / la_serenissima Entre os benefícios estão redução dos custos de produção e melhor qualidade dos tijolos.

Todos os dias milhões de cigarros são jogados em ruas e calçadas mundo afora. Além dos graves problemas de saúde ocasionados pelo tabaco aos seus consumidores, o meio ambiente é outra grande vítima dos efeitos do cigarro – com a fumaça, que prejudica a qualidade do ar, e as toneladas de bitucas que se acumulam aos montes por todos os lugares.

Ainda que a conscientização da população fumante tenha melhorado potencialmente ao longo dos últimos anos, o planeta carece de novas alternativas que empreguem a grande quantidade de resíduos tóxicos gerado pelo consumo. E foi pensando exatamente na solução deste problema que o Doutor Abbas Mohajerani, da Universidade de RMIT (Austrália), encontrou na fabricação de tijolos uma oportunidade para realizar a reciclagem do material.

Trata-se da transformação das guimbas em matéria-prima para fabricação de tijolos. Já há algum tempo o pesquisador australiano tem focado seus estudos na procura de alternativas que pudessem aproveitar o material, mas foi na mistura de resíduos de cigarro junto da argila que o doutor encontrou sua fórmula de sucesso.

De acordo com o Dr. Mohajerani, a nova alternativa pode ser a solução para acabar com um dos grandes problemas globais de lixo. Testes indicam que a substituição de apenas 1% da matéria-prima de tijolos por bitucas de cigarro é suficiente para compensar a produção anual de cigarro em todo o planeta.

Inclusive, conforme apresentado pela equipe de cientistas que auxiliou o pesquisador, a nova fórmula de tijolo supera em alguns aspectos os meios de produção tradicionais utilizados para a atividade. Benefícios como a redução dos custos de produção e melhora na qualidade dos tijolos, além de evitar o lançamento dos poluentes no planeta, são apenas algumas das vantagens deste novo processo de reciclagem.

Vale destacar que o novo tijolo não apresenta nenhuma alteração visual no resultado final – ou seja, conta com a mesma aparência dos tijolos comuns – e, segundo a própria equipe do Dr. Mohajerani, o material não oferece risco algum à saúde, já que durante sua produção os resíduos tóxicos são atraídos para a matéria do tijolo e dela nunca mais saem.