Siderúrgica aposta na proteção de áreas verdes e conscientização ambiental

428 Visualizações
Serra do Ouro Branco (MG)
Serra do Ouro Branco (MG). Foto: rrfoto

A multinacional – exploradora de ferro usado na produção de aço –, presente na maioria dos estados brasileiros, percebeu a presença do impacto ambiental de suas atividades e resolveu estabelecer planos de gestão ambiental capazes de amenizá-los. Por isso, a Gerdau iniciou projetos de educação ambiental destinados aos funcionários da empresa, alunos e professores das escolas públicas próximas a Serra do Ouro Branco (MG), atingindo cerca de 100 mil participantes.

O Programa Gerdau Germinar teve início em 1990, promovendo orientação aos participantes sobre a quantidade de recursos hídricos existentes e o papel de cada indivíduo na preservação da natureza. Coordenado por Fernanda Montebrune Leão, analista de Desenvolvimento Ambiental, a iniciativa durou aproximadamente 23 anos e trouxe novas parcerias com a instituição da conservação do meio ambiente.

Em 2008, uma unidade da empresa localizada em Minas Gerais contou com o apoio do Instituto Estadual de Florestas do SISEMA (Sistema Estadual de Meio Ambiente) para realizar outra ação sustentável. As duas instituições inauguraram a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Luis Carlos Jurovsky Tamassia, na Serra do Ouro Branco (MG), que possui 1.247 hectares, onde ainda se encontram espécies da flora em risco de extinção, como por exemplo, Vriesea minarum, uma planta da família das bromélias e Dyckia ourobrancoensis.

Além disso, o projeto ainda apoia pesquisas científicas sobre a biodiversidade local. O programa também recebeu destaque no 5º lugar do Prêmio Benchmarking Brasil 2013, ranking de ações empresariais socioambientais.

Empresa: Gerdau

Ações: Programa Gerdau Germinar

Responsável: Fernanda Montebrune Leão