Soluções para o lixo doméstico ou domiciliar

5.885 Visualizações
Lixo
Foto: johnnyberg

Por dia o Brasil produz cerca de 240 mil toneladas de lixo, sendo que a quantidade descartada semanalmente por cada ser humano é de aproximadamente 5 kg. Desse total, quase 90% do lixo doméstico vai parar em lixões a céu aberto ou aterros sanitários, cuja capacidade máxima já está próxima do limite.

Este é um problema que o país enfrenta e que foi impulsionado pelo crescimento do poder aquisitivo, que gerou um maior consumo de produtos industrializados e, consequentemente, implica numa maior quantidade de embalagens que são descartadas e vão para o meio ambiente.

Uma das alternativas para evitar a grande quantidade do lixo domiciliar é a separação de matérias como papel, vidro, metal e plástico, que depois podem ser reciclados. Porém, de acordo com o Centro de Capacitação e Pesquisa em Meio Ambiente (Cepema), da Universidade de São Paulo, somente 2% do lixo segue para coleta seletiva.

Este tipo de procedimento é muito benéfico para natureza, já que retira do lixo matérias que demoram muito tempo para se decompor – como plástico (450 anos), latas de alumínio (200 anos) ou vidro (1 milhão de anos).

Compostagem

Em casa, uma das soluções para o lixo é separar os resíduos orgânicos e fazer a compostagem. O sistema natural transforma este material em adubo de ótima qualidade, que serve para nutrir plantas da própria residência, doá-lo a amigos ou aplicá-lo em áreas verdes da vizinhança.

Para isso, basta pegar um recipiente e fazer vários furos na lateral para que não acumule água, depois adicione uma camada de pedrinhas e depois um pouco do lixo orgânico. Em seguida cubra com terra de jardim, folhas secas ou serragem e vá intercalando as camadas de detritos com esse tipo de cobertura. É preciso esperar em torno de dois meses para que o processo de compostagem se complete e assim possa ser utilizado o adubo.

Casca de banana
Foto: karlfaktor

Reaproveitamento de alimentos

Também é possível reduzir a quantidade de lixo descartado reaproveitando alimentos, como talos, folhas e cascas de verduras, em receitas. Alguns exemplos são utilizar a casca da banana para fazer doce, a sobra do arroz pode virar bolinho ou risoto, e talos de agrião ou casca de chuchu podem incrementar a sopa.

Além de evitar o desperdício, esses quitutes são nutritivos e fazem bem à saúde.