Reciclagem: central manual de triagem em SP vai receber novos equipamentos

1.011 Visualizações
© Depositphotos.com / bogdanwankowicz Serviços na central devem começar em 2017.

Falar de reciclagem é falar em um futuro mais sustentável e melhor. Esse processo traz diversos benefícios ao planeta e à sociedade, pois preserva o meio ambiente, contribui para diminuição da poluição do solo, da água e do ar. Além de gerar milhares de empregos nos grandes centros urbanos onde existe a coleta seletiva.

A Cooperativa Vira-Lata, uma das empresas de coleta seletiva responsáveis pelo distrito de Rio Pequeno, na zona oeste, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, passará por obras de manutenção e ganhará novos equipamentos. O investimento será de R$ 550 mil e terá início no primeiro semestre de 2017.

Serão feitos reparos nos sistemas hidráulicos e elétrico, manutenção na pintura e ainda haverá a instalação de equipamentos de rasga-sacos, balístico, esteiras, prensa e triturador de vidro. A área externa do galpão também será readequada com sinalização horizontal, tela de proteção contra pombos, novos refletores, fosso e piso. Todas essas modificações vão ajudar tanto na melhoria do local quando no processo de coleta de lixos.

A Central Manual de Triagem Raposo Tavares I processa 110 toneladas de recicláveis por mês. O trabalho é realizado pela cooperativa de catadores remunerados Vira-Lata, com o objetivo de recolher, armazenar e beneficiar resíduos sólidos. Nessa cooperativa trabalham 49 pessoas, com remuneração média mensal de R$ 880,00.
A prefeitura da cidade investe mais de R$ 4 milhões por ano na remuneração de mão de obra para as cooperativas, sendo que mais de R$ 10 milhões são aplicados em caminhões, equipamentos de segurança (EPI), uniformes e galpões.

Reciclagem na cidade ainda é baixo

Diariamente a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos, nos quais aproximadamente 12,5 mil toneladas são de coleta domiciliar. Porém, apenas 35% desse resíduo seco poderá passar pelo processo de reciclagem.

Em 2014, a Prefeitura inaugurou duas centrais mecanizadas, com capacidade de processar 500 toneladas de recicláveis por dia, um processo pioneiro na América Latina. Além disso, dez novos distritos começaram a contar com a coleta seletiva e mais 40 tiveram a coleta universalizada (atingindo todas as ruas). Agora em 2016 essa coleta já é feita em todos os distritos de São Paulo, com o objetivo de ampliar o serviço, unindo esforços de cooperados e das concessionárias do serviço de coleta.