Publicação mapeia biodiversidade em Unidades de Conservação

353 views
iStockphoto.com / Moussa81 Em 417 unidades de conservação federais e estaduais. foram catalogadas 17 mil espécies.

As unidades de conservação são de extrema importância para a proteção das diversas formas de vida existentes nas florestas, sejam plantas, animais ou micro-organismos. Apesar de esse não ser o único objetivo desse sistema, as chamadas UCs colaboram muito para garantir o equilíbrio dos ecossistemas.

Ao todo, o território brasileiro conta com 17% da sua extensão coberta por unidades. O problema é que, devido à grande extensão das áreas, faltava um mapeamento do que elas abrigavam em termos de biodiversidade. Para reverter essa situação, durante o Congresso Mundial de Parques, na Austrália, foi lançada uma publicação online promovida pelo Observatório de UCs, em parceria com o WWF-Brasil.

O documento, intitulado Biodiversidade em Unidades de Conservação, acaba de ganhar uma versão impressa e traz a consolidação dos dados da biodiversidade das UCs, com o objetivo de discutir a potencialidade das áreas protegidas, sobretudo para a revelação de novos achados científicos.

Dados das Unidades de Conservação

Os resultados referem-se a 17 mil espécies de plantas, invertebrados, peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos em 417 unidades de conservação federais e estaduais. Outro dado que chama a atenção é que o grupo com o maior número de espécies cadastradas no observatório é o das plantas.

Segundo os especialistas, a inserção de dados e ajustes deve ser feitas contínua e periodicamente para garantir que as informações estejam sempre atualizadas.

Dessa forma, além do trabalho diário da equipe de atualização do Observatório de UCs, é de extrema importância que haja contribuição de parceiros, gestores de unidades, pesquisadores e usuários independentes. Além disso, outras fontes como planos de manejo, artigos científicos, dissertações e publicações oficiais também ajudam a aumentar a base de dados.

Amapá é destaque

Dentre todas as unidades de conservação que possuem listas de espécies na plataforma do Observatório de UCs, a que mais se destaca é o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, no Amapá, com mais de 2,3 mil espécies.

Dos dez estados com maior número de espécies registradas, seis estão pelo menos parcialmente na Amazônia. Ao todo, o maior parque nacional do Brasil conta com 3,8 milhões de hectares.