Dia do Controle da Poluição Industrial lembra o combate aos poluentes

2.076 Visualizações
Co2
Foto: prbo

Hoje é o dia da responsabilidade de todas as indústrias brasileiras, que devem buscar alternativas para poluir cada vez menos o meio ambiente. A data proposta pelo Ministério do Meio Ambiente sugere a redução dos poluentes emitidos pelas empresas e alternativas de reestruturação ambiental. A industrialização do país, que ocorreu na década de 1930 – que implantou o uso de máquinas que trabalham sob a queima do carvão – marcou o início dos grandes índices de poluição do ar.

Cubatão, localizada na baixada santista, em São Paulo, é um exemplo de cidade que ao mesmo tempo em que foi personagem principal do avanço da produtividade nacional, acabou adquirindo o título de “Vale da Morte” em 1950. A cidade detentora de empresas petroquímicas e siderúrgicas apareceu no ranking das 35 cidades mais poluentes do mundo, segundo organização ambiental Blacksmith, em 2006. Entretanto, dois anos depois a situação começou a mudar.

Programas de recuperação das águas dos rios desde 1985, pela Agenda Cubatão 21 e outros planos de reestruturação ambiental, foram realizados em parceira com a prefeitura e a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), que juntas desenvolveram um planejamento para melhorar setores como a saúde, educação e habitação para a população que vivia em meio ao caos da poluição. Todo o empenho rendeu à Cubatão o reconhecimento da ONU, que escolheu a cidade como exemplo de recuperação ambiental na Conferência Eco-92.

Cubatão
Cubatão. Foto: Cameraobs

As indústrias do Polo de Cubatão diminuíram 98,9% do total de suas emissões, revela estudo solicitado, em 2008, pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciep) ao consultor ambiental, Eduardo San Martin. A estratégia da Ciep de Cubatão para reduzir os índices de poluição do ar, além do monitoramento contínuo das emissões atmosféricas, é a substituição do combustível líquido pelo gasoso, que evita a queima e consequentemente a poluição. Além disso, a instalação da unidade de recuperação de enxofre contribuiu para a redução do dióxido de enxofre, produto gerado a partir da queima do elemento.

No caso da poluição por resíduos sólidos, o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev) encontrou uma solução, que já mostrou resultados. O instituto conseguiu reciclar cerca de 3 mil embalagens vazias de agrotóxicos entre janeiro e julho de 2013. A atuação da empresa segue uma das premissas da PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos) – que pretende eliminar os lixões espalhados pelo Brasil até 2014 – dando o destino correto às embalagens tóxicas.

O governo e as indústrias já se mexeram, investindo em políticas de redução da poluição. E que atitude cabe a nós para reduzir os nossos impactos? Uma solução pode ser o consumo consciente, pois o consumo excessivo sem necessidade motiva uma maior produção das indústrias, que geram mais poluição, fazendo deste processo um ciclo vicioso que prejudica o planeta.