As consequências da obesidade canina

461 Visualizações
© Depositphotos.com / lifeonwhite Cachorros das raças Lhassa apso e Pug.

Você leva o seu cãozinho ao veterinário e lá tem a comprovação do que já desconfiava pelo formato e a falta de disposição de seu bichinho: ele está acima do peso. Como os nossos cães alimentam-se a partir do que lhes é oferecido por seus donos, o jeito é assumir a responsabilidade e seguir as prescrições médicas para que o animal de estimação volte a ter saúde e disposição plenas.

Com as alterações do estilo de vida de seus donos – que passam a viver cada vez mais em apartamentos e espaços confinados, e a terem menos atividades ao ar livre – os cães obesos surgem como uma espécie de reflexo da vida de seus donos. Além da má alimentação e do sedentarismo, doenças como o hipotireoidismo, a Síndrome de Cuching e lesões no hipotálamo também podem levar ao sobrepeso.

Seguem abaixo algumas consequências da obesidade canina. Conscientize-se e evite que seu cão passe por essa situação.

Maior risco em cirurgias – Pelo sobrepeso, o animal poderá precisar uma dose maior de anestesia e o cirurgião terá menor visibilidade dos órgãos, por estarem envolvidos em massa gorda.

Pressão aumentada sobre o coração, pulmões, rim e articulações – Todo o organismo do cachorro tem de aumentar seu ritmo de atividade para manter o funcionamento de toda a massa do animal.

Possibilidade acentuada de agravamento de doenças articulares, como a artrite – Com aumento de peso, o cão precisa forçar mais as articulações para conseguir movimentar-se. O aumento da pressão sobre joelhos pode provocar artrite, resultando ainda em dores intensas em outras áreas como anca e cotovelos. Esta condição é ainda mais preocupante nas raças de porte grande, já predispostas a desenvolver displasias.

Problemas respiratórios em tempo quente e durante exercício – Os pulmões de um cão obeso têm menos espaço para se encherem de ar e ainda precisam, em contrapartida, aumentar a sua capacidade de captação de oxigênio para fornecer ar ao número maior de células no corpo.

© Depositphotos.com / willeecole Cão obeso.

Diabetes – Esta enfermidade sem cura pode obrigar a injeções diárias e pode levar à cegueira. Assim como nos humanos, a doença surge nos cães com a incapacidade de produção de insulina para processar os níveis aumentados de açúcar.

Problemas cardíacos – Em um corpo obeso, o coração precisa aumentar a sua capacidade de distribuição de sangue, fazendo mais força. Esta sobrecarga de atividade acaba exigindo demais do órgão, que passa a correr mais riscos de apresentar danos.

Maior probabilidade de desenvolver tumores – Estudos recentes associam o desenvolvimento de câncer, sobretudo mamário ou no sistema urinário dos cães com obesidade.