Entenda o que são e quais são os alimentos energéticos, construtores e reguladores

41.402 Visualizações
foto de várias comidas em cima da mesa
Os alimentos energéticos estão na base da pirâmide alimentar e possuem em sua composição a energia necessária para o indivíduo exercer qualquer atividade física.

O ser humano, assim como todos os seres vivos, precisa se alimentar para se desenvolver e sobreviver. A busca por comida foi um dos principais fatores que levaram a humanidade de espalhar pelo mundo, criando grandes civilizações e desenvolvendo os processos industriais que movem a economia dos países.

Desde os tipos de agricultura mais rudimentares até os fast foods, diversas gerações foram formadas pelos diferentes hábitos alimentares de cada povo, que ao longo do tempo oscilaram entre uma alimentação de qualidade e uma que pode ser prejudicial à saúde.

Cada um dos nutrientes que compõem a alimentação é essencial para a saúde, desde que consumidos nas quantidades adequadas e de maneira equilibrada. Classificados em grupos conforme sua composição, alguns tipos de alimentos têm como função proporcionar energia, enquanto outros ajudam na formação celular. Entenda melhor a seguir:

A pirâmide da boa alimentação

Os alimentos são divididos entre energéticos, construtores e reguladores, de acordo com o desempenho que realizam no corpo humano. O excesso ou ausência de um desses três tipos de alimento pode acarretar em deficiências nutricionais de leves a graves, causando desestabilidade ao organismo.

Para melhor ilustrar as necessidades de nutrientes do corpo humano, foi criada a pirâmide alimentar, que indica a alimentação mais saudável para o organismo e que é capaz não apenas de equilibrar o peso, mas manter a boa saúde.

Energéticos

Presente em carboidratos e lipídios, os alimentos energéticos são a base da pirâmide alimentar e proporcionam a energia necessária para exercer qualquer atividade física, desde as mais simples — como escovar os dentes e conversar — até as intensas como correr e praticar esportes.

A média diária para um adulto é de 2000 calorias, considerando que a população hoje está baseada no sedentarismo. Mas esse valor pode ter muitas variantes, de acordo com as características do organismo de cada um e suas atividades. Quanto menos gasto de energia, menor deve ser sua ingestão para que não fique acumulada e se transforme em excesso de peso.

Os carboidratos são os energéticos mais conhecidos e estão em quase todos os tipos de alimentos, mas só são considerados dessa categoria aqueles que possuem forte concentração de carboidrato. Quando consumidos em exagero, se transformam em gordura no organismo e ficam armazenados, propiciando o aumento de peso e o surgimento de doenças cardiovasculares.

Os lipídios também possuem alta concentração de energia e podem ter o dobro de calorias dos carboidratos. Tratam-se das gorduras como óleos e azeites, estando também presente em carnes. Em doses equilibradas, os lipídios ajudam na formação hormonal e na proteção dos órgãos, mas se forem consumidos exageradamente podem aumentar substancialmente o colesterol ruim e levar ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Em seguida há as proteínas, que não só proporcionam energia como também são fundamentais para a formação estrutural do organismo. Ela está presente em todas as regiões do corpo humano e lhe dão sustentação. São encontradas em carnes e derivados, além de algumas leguminosas e grãos.

Construtores

Sua principal fonte nutricional são as proteínas, que ajudam em toda a construção celular do organismo. As proteínas também exercem fator relevante na formação do ferro, cálcio, vitamina A, B1 e D. Quando a proteína e o ferro são se origem animal, possuem mais qualidades que a de origem vegetal, já que sua composição é mais completa. Já a vitamina B12 só está presente em proteínas animais.

Reguladores

São os alimentos compostos por vitaminas e sais minerais, responsáveis pela regulação do organismo. Eles dão suporte aos alimentos construtores e no sistema imunológico. Ricos em fibras, são encontrados facilmente em frutas, verduras e legumes.

Imagem: istock.com / monticelllo