Pesquisadores descobrem pintura que pode ser a mais antiga da humanidade

58 Visualizações

A arte rupestre foi descoberta na Indonésia e mostra figuras em uma cena de caça. Cientistas calculam que a pintura tenha 44 mil anos

Arqueólogos descobriram uma pintura rupestre em Sulawesi, na Indonésia, que pode ser a mais antiga do mundo. No artigo publicado na revista Nature, estima-se que a arte pré-histórica tenha cerca de 44 mil anos.

A imagem tem 4,5 metros de comprimento e apresenta uma cena de figuras humanas caçando animais que parecem ser porcos e búfalos, pintadas na cor marrom avermelhada. Até a descoberta desta obra, acreditava-se que as pinturas rupestres mais antigas do mundo era as que estão nas cavernas do Paleolítico Superior da Europa.

A descoberta foi feita há dois anos, quando o arqueólogo Adam Brumm, da Universidade Griffith, na Austrália, viu as fotos pela primeira vez em seu celular. Um colega estava na Indonésia e, ao acessar uma caverna na região de Sulawesi, uma ilha a leste de Bornéu, encontrou as imagens, tirou as fotos e as enviou para Brumm. O arqueólogo disse à Revista Nature que, ao ver a imagem, ficou surpreso pois nunca tinha visto nada igual antes (ou seja, como uma cena de caça), apesar de já ter visto centenas de registros semelhantes nesta região.

Outras pinturas importantes

Esta pintura rupestre é considerada a mais antiga do mundo, mas não é o desenho mais antigo já encontrado. O desenho mais antigo que se tem conhecimento, foi identificado em pequena rocha na Caverna Blombos, África do Sul, e tem cerca de 73 mil anos. Trata-se do primeiro desenho abstrato da história, segundo um artigo publicado na revista Nature.

A França também resguarda preciosidades da era pré-histórica. É lá que ficam as cavernas Chauvet e Lascaux, dois dos sítios arqueológicos mais importantes do mundo.

A caverna Lascaux é uma das 25 cavernas do período paleolítico, localizada no vale de Vézère, no sudoeste da França. Nesta caverna é possível verificar a presença de 6 mil figuras – sendo os animais o foco principal -, além de centenas de ferramentas de pedra e pequenos buracos ao longo do interior da caverna.

Outra caverna importante para a humanidade também fica na França, na região de Ardeche. Chauvet sobreviveu por milênios antes de ser descoberta em 1994 e contém mais de mil pinturas rupestres que datam de 36 mil anos.

Arte rupestre tupiniquim

A ligação do homem pré-histórico com a arte também já foi identificada no Brasil. Por aqui, os arqueólogos encontraram registros em diversas regiões do País, mas a maior de todas é a do Parque Nacional da Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, no Piauí. O local reúne o maior acervo de sítios arqueológicos e pinturas rupestres do continente americano. O complexo de serras, vales, cavernas e painéis da Serra da Capivara é considerado Patrimônio Mundial, Cultural e Natural da Unesco. Os visitantes não pagam ingresso para conhecer o local, porém, é obrigatório a contratação de um guia, que seja cadastrado junto ao Parque Nacional da Serra da Capivara. A relação de condutores credenciados pode ser vista aqui.

Foto capa: Ratno Sardi