Lixo nas praias: conheça a iniciativa da Ocean Sole

475 Visualizações
eco-geracao Lixo na praia.

O projeto Ocean Sole cria brinquedos, bijuterias e objetos de decoração com plástico e borracha retirados das praias. Iniciado no Quênia, país africano, foi idealizado pela conservadora marinha Julie Church. O projeto mescla sustentabilidade, formação social, emprego e renda.

A ONG incentiva as pessoas a usarem a criatividade para desfazerem-se do lixo nas praias. Homens e mulheres recolhem detritos deixados pela areia, criam novos itens e os comercializam. A arte que vem do lixo é vendida aos turistas do mundo todo sob o selo da Ocean Sole.

A maior parte dos trabalhos é produzida com chinelos de borracha recolhidos das costas oceânicas e afluentes do Quênia. O resultado é um buquê de cores, esculturas bem feitas, utensílios domésticos, acessórios de moda, presentes, interativos, artigos de papelaria e peças sob medida.

Segundo a ONG, os chinelos de borracha são um dos maiores poluentes marinhos nas praias do Oceano Índico. Através da iniciativa mais de 40 mil chinelos são reciclados por ano. São mais de 100 pessoas empregadas pela ONG, trabalhando na retirada de lixo na praia e nas oficinas de Nairobi, favelas e áreas costeiras afastadas em cidades africanas.

“O mundo é de 70% do oceano, 30% massa de terra… Nós estamos acordando para o fato de que a consequência da industrialização é balançar o barco. O oceano é quintal de despejo do mundo. Isso tem efeitos devastadores sobre o menor pólipo até a maior baleia azul, sobre a pesca, a navegação e para saúde humana”, prega a ONG.

A fundação acredita que cada pessoa, rica ou pobre, pode fazer uma boa escolha e assumir a responsabilidade de limpar os oceanos. Para isso, educam e as comunidades sobre os ecossistemas e a biodiversidade marinha, e capacitam pessoas para serem responsáveis com o meio ambiente em que vivem.

ornaldaparnaiba Praia suja.

O artesão Eric Mwandola conta como a Ocean Sole mudou sua vida: “Eu não podia nem comprar sapatos e tive que emprestar alguns para chegar a Nairobi e encontrar trabalho. Eu tenho trabalhado aqui há seis anos… agora posso enviar os meus dois filhos para a escola secundária e alimentá-los e vesti-los bem. Montei uma pequena fazenda com duas vacas e vendo o leite para os meus vizinhos para ganhar dinheiro extra, isso é um investimento para os meus filhos. A empresa apoia-me quando estou doente e paga as contas do meu médico. Eu agradeço”.

A Ocean Sole investe 5% de seu lucro na própria fundação e 25% nas esculturas de borracha gigantes, feitas de chinelos e vendidas pelo mundo.