Lei do Desmatamento Zero: Uma medida popular para salvar as florestas

878 Visualizações

Respirar ar puro pode ser sinônimo de saúde e qualidade de vida. E para o oxigênio se manter mais limpo é preciso praticar medidas de redução de poluentes na atmosfera e, principalmente, prestar mais atenção nas florestas que têm sido devastadas. Entre 2011 e 2012, uma área verde equivalente a 554 mil campos de futebol, iguais ao do Maracanã, foram derrubadas, segundo a ministra do meio ambiente, Izabella Teixeira.

Desmatamento
Foto: my.opera

A grande questão não é o fato da devastação, mas o motivo pelo qual diversas florestas são exterminadas. A expansão agrícola, pecuária e a extração de madeira são os principais motivos do acelerado extermínio de florestas. A retirada de madeiras na Amazônia, por exemplo, também contribui para altas emissões de gás carbônico. De acordo com uma pesquisa feita pela arquiteta Érica Ferraz de Campos, da USP, essa atividade é responsável por algo entre 6,5 e 24,9 toneladas de dióxido de carbono (CO2) por metro cúbico de madeira serrada. Outros fatores ainda influenciam o aumento do desmatamento. A construção da estrada interoceânica que liga Brasil e Peru e corta parte da floresta amazônica estimula a imigração e a propagação da agricultura dentro das florestas, especialmente em áreas remotas e mal regulamentadas. Porém, deixar de devastar totalmente é quase impossível, pois estes setores da economia nacional dependem de extensão territorial para continuar a atuação. O Código Florestal foi a primeira solução, desde 1934, para reduzir os índices de devastação em todo o Brasil. Em maio de 2012, a última versão reformulada do Código prevê a ampliação da APP (Área de Preservação Permanente) em 80% na Floresta Amazônica Legal. A implementação do novo Código no entanto, não atingiu a meta. Pelo contrário, perdeu de 15% a 40% a área prevista para a conservação obrigatória, como aponta o estudo da ONG The Nature Conservancy (TNC).

Desmatamento Zero

A campanha do Desmatamento Zero é um projeto de lei de iniciativa popular que pretende levar o maior número de assinaturas digitais ao Congresso, com o objetivo de mostrar o interesse da sociedade pelo fim da devastação das florestas. Até o fechamento da matéria, 884.570 pessoas já tinham assinado a favor da campanha.

Para deixar a iniciativa do Desmatamento Zero mais divertida, com intuito de chamar mais pessoas para participar, o ONG Greenpeace lançou um portal chamado “Liga das Florestas”, um espaço para recolher as assinaturas dos ativistas. Além disso, a organização criou um concurso cultural que premiará os usuários que mais divulgarem a petição eletrônica pela internet através das redes sociais e aqueles que também frequentarem as mobilizações nas ruas. O concurso vai até 06 de novembro de 2013 e o regulamento completo pode ser visto no site.

No quadro ao lado você pode contribuir para a validação da Lei do Desmatamento Zero no Congresso, assinando a petição.