Fórum sobre programa de conservação da biodiversidade marinha será realizado na Bahia

477 Visualizações
Projeto Coral Vivo Ambiente Coralíneo

Entre os dias 7 e 11 de abril, no Centro de Convenções do Arraial d’Ajuda Eco Resort, no sul da Bahia, acontecerá um fórum com o objetivo de impulsionar a criação do Plano de Ação Nacional para Conservação dos Ambientes Coralíneos (PAN Corais). Durante a oficina, organizada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) em parceira com o Projeto Coral Vivo, serão discutidas ações de preservação e conservação do ambiente marinho brasileiro.

No intuito de promover acordos entre atores institucionais, a reunião colocará em debate temas como pesca ilegal, poluição e sedimentação, mineração, e turismo mal conduzido, visando neutralizar os impactos provocados por tais fatores. Segundo o Projeto Coral Vivo, serão definidas os programas de conservação para 20 espécies marinhas ameaçadas e, além disso, outras 35 serão beneficiadas entre corais, peixes ósseos, elasmobrânquios, equinodermos e poliquetas.

As iniciativas desenvolvidas atenderão 18 áreas prioritárias, de Parcel de Manuel Luís, no Maranhão, até o Arvoredo, em Santa Catarina, e também considerar os ambientes coralíneos de profundidade. “O intuito é minimizar as ameaças, conforme a governança de cada participante, nas áreas específicas”, esclarece Fátima Pires de Almeida Oliveira, da Coordenação de Planos de Ação Nacionais de Espécies Ameaçadas de Extinção, do ICMBio.

Portanto, sabendo que cada ecossistema possui características específicas, assim como necessidades peculiares, o Coral Vivo estima que 100 atores-chave devem estar presentes no evento. Com a sensibilização de uma centena de agentes, o empreendimento estima socorrer várias espécies em declínio populacional ou aquelas que estão sendo atingidas pelos impactos de atividades como pesca e mineração, como a extração de calcário.

Recebendo o apoio do Programa Petrobras Socioambiental e do Arraial d’Ajuda Eco Parque, o Projeto Coral Vivo garante que o PAN Corais será monitorado anualmente e que, após cinco anos de atuação, proporcionará o levantamento de dados sobre a eficácia das ações. Desta forma, os gargalos e as principais dificuldades serão evidenciados, viabilizando a adaptação e direcionamento mais preciso dos recursos.

Projeto Coral Vivo Coral Cerebro (Mussismilia braziliensis)