O processo de Logística Reversa da Coca-Cola por trás do sucesso da marca

5.743 Visualizações
O processo de logística reversa da coca-cola tem como principal objetivo recolher 100% das embalagens e destiná-las corretamente.

É comum que grandes empresas detenham o protagonismo no ramo em que atendem. Como consequência, muitas delas precisam investir pesado no que se refere à tecnologia destinada à produção de seus produtos e embalagens, de forma a atender toda a demanda e aliar seus negócios aos conceitos de sustentabilidade ambiental.

Um dos processos adotados pelas empresas é a logística reversa, que consiste no gerenciamento e operacionalização da restituição de materiais às suas origens (após venda e consumo). Ou seja: após as vendas dos produtos, as empresas responsáveis por sua fabricação se responsabilizam pela correta destinação da embalagem. Nesse sentido, são planejadas ações para recolher todas as embalagens descartadas, de modo que haja reutilização ou reciclagem dos materiais.

No ano de 2018, a Coca Cola Company decidiu intensificar seu investimento e suas ações criativas no projeto “Mundo sem Resíduos”, um exemplo objetivo da logística reversa. Esse projeto tem como finalidade o recolhimento de 100% das embalagens colocadas pela marca no mercado, e tem como prazo o ano de 2030 para alcançar esse objetivo.

Quando não é possível fazer o reaproveitamento da embalagem, a preocupação da empresa fica na destinação correta do material, a fim de não degradar o meio ambiente. Uma das grandes preocupações da Coca Cola Brasil é o destino que essas embalagens têm após o consumo do produto. O ideal é que essas embalagens retornem ao ciclo industrial.

Segundo dados da própria empresa, cerca de 51% de suas embalagens tem a destinação correta, atualmente. Esses dados se dão por uma série de ações e objetivos alcançados pela empresa, que são:

  • Uso efetivo de embalagens retornáveis;
  • A resina reciclada é uma das matérias-primas das novas garrafas confeccionadas;
  • Aliança criada com mais de 200 cooperativas de reciclagem espalhadas pelo País.

A preocupação com as questões ambientais que envolvem o descarte correto e a reciclagem das embalagens é uma tentativa de transformar o atual sistema, mais especificamente a maneira como a indústria e a sociedade lidam com o plástico. A logística reversa possibilita vantagens tanto para a empresa como para a sociedade: o custo do produto torna-se menor para o consumidor, e o uso de materiais retornáveis conecta o papel social da empresa com os objetivos de sustentabilidade.

Falando legalmente, no final de 2015 foi assinado o Acordo Setorial de Embalagens, que prevê a composição de um plano de ação de resíduos considerando a logística reversa. O objetivo direto é a redução de 22% de embalagens pós-consumo, que vão aos aterros sanitários até o encerramento de 2018.

A adoção do processo da logística reversa colocou a marca Coca-Cola ainda mais em destaque e protagonismo no mercado, e isso se deve a dois principais motivos:

  • Preocupação ambiental: sustentabilidade é uma das principais metas dessa grande empresa, já que atende tanto às necessidades econômicas quanto às humanas. Aqui a preocupação é com a preservação ecológica. Essa prática sustentável reaproveita os produtos descartados, colocando em queda os impactos ambientais e diminuindo consideravelmente os custos;
  • Objetivos econômicos: o reaproveitamento de materiais traz benefícios econômicos claros e agrega valor à empresa.

Imagem: spawns / iStock / Getty Images Plus