Conheça a cerificação ISO 26000

779 Visualizações
Fonte: peru2021.org

Com o objetivo de ser a primeira norma global e padronizada de responsabilidade social e ambiental, a ISO 26000 existe desde 2010 e estabelece algumas diretrizes para auxiliar empresas de pequeno, médio e grande porte, a implementarem políticas de sustentabilidade ambiental e social. A norma engloba etapas como responsabilidade, transparência, comportamento ético, direitos humanos, normas internacionais de responsabilidade ambiente, entre outras diretrizes.

A ISO 26000 surgiu justamente para integrar e padronizar as relações que as empresas tinham com o meio ambiente e com o meio onde estão instaladas, ou seja, uma norma regulatória que exige o cumprimento de ações que não agridam a natureza em equilíbrio com medidas econômicas e sociais que impulsionam o crescimento da instituição e da própria sociedade.

A ISO 26000 se pauta bastante em questões éticas, ou seja, grande parte dos esforços é direcionado a conscientizar empresários, fornecedores, clientes e funcionários da importância da preservação ambiental.

Um ponto da certificação ISO 26000 que merece atenção é que não se trata de uma obrigatoriedade para empresas de todo o mundo, mas sim de uso voluntário e dependente das iniciativas das instituições. Para quem é do mercado, é classificada como uma RS (Responsabilidade Social). Também vale a pena lembrar que a ISO 26000 pode ser aplicada em empresas privadas, públicas ou mesmo organizações sem qualquer tipo de fim lucrativo, como ONGs.

Para a empresa, adequar suas atividades conforme as diretrizes da ISO 26000 é dar um passo para o futuro do próprio negócio. O pensamento é bem claro: com uma sociedade ecologicamente correta e socialmente equilibrada, a empresa cresce como um todo, pois mais pessoas poderão consumir seus produtos e serviços. Além disso, o valor de mercado da instituição cresce, afinal, uma empresa com este tipo de responsabilidade é melhor vista pela sociedade de uma forma geral. Veja na sequência outros benefícios:

• Gestão de risco organizacional com práticas melhoradas;
• Melhor estímulo a processos de decisão em prol da sociedade;
• Imagem valorizada da empresa;
• Abertura para novas ideias de negócios;
• Competitividade sadia;
• Relacionamento valorizado entre empresa, fornecedores, investidores e clientes;
• Maior envolvimento do público consumidor com a marca;
• Participação mais ativa e sadia de todos os funcionários;
• Melhoria nas condições de trabalho;
• Uso mais equilibrado dos recursos naturais.