Supermercado usa restos de alimentos não vendidos para gerar a própria energia

811 views
Divulgação/ Sainsbury Energia renovável equivale a 10% do que é consumido pela rede de supermercados.

Ao longo de todo 2016, muitos projetos ao redor do mundo desenvolveram soluções criativas para resolver o problema do desperdício de comida, que ano após ano é responsável por descartar toneladas de alimentos por diversas razões. Entre as ideias que tiveram maior repercussão, a rede de supermercados Sainsbury chamou atenção por colocar em prática um projeto inovador e altamente funcional.

Em parceria com a principal recicladora de resíduos alimentares do Reino Unido, a ReFood, a rede varejista decidiu criar uma alternativa que pudesse aproveitar restos de alimentos não vendidos nas prateleiras.

Com essa ideia-base, as duas empresas desenvolveram um sistema de geração de energia própria, fazendo uso desses resíduos de alimentos.

Para viabilizar o projeto, os responsáveis pelo sistema explicam que todo material recolhido passa por um processamento, onde é convertido em gás, calor e até em fertilizantes nas instalações da ReFood na unidade de rejeição anaeróbia. Quando os resíduos são transformados em gás verde, empresas terceirizadas fazem a distribuição para toda as lojas da Sainsbury.

Para se ter uma ideia, o volume de energia gerado durante um ano seria capaz de energizar até 5000 residências durante o período, ou o equivalente a 10% do consumo total de gás das lojas da rede.

Um dos resultados da ação, que vem sendo implantada desde 2015, é o aumento significativo do uso de energia renovável de mais de 10 unidades da Sainsbury, o que representou uma grande economia nas contas da empresa, além da redução de desperdício de alimentos. A expectativa dos idealizadores para os próximos anos é de aprimorar o sistema e criar novas soluções voltadas para a reciclagem de alimentos e resíduos.