Arte e Reciclagem: A transformação do lixo

32.939 Visualizações

Porta VelasNo dia a dia utilizamos e descartamos muitos materiais sem nem pensar em como eles poderiam ser reaproveitados. Apesar da cultura da coleta seletiva e reciclagem estarem cada vez mais presentes na sociedade, ainda é difícil enxergar um futuro diferente para o produto descartado.

Se para uns o produto acaba ali, no lixo, para outros, o lixo é a solução. Não é preciso ser artista nem muito criativo, basta entender a relação entre arte e reciclagem, e imaginar novos produtos a partir dos materiais “velhos”.

Por ser um tipo de fonte de renda extremamente sustentável, ambiental e economicamente falando, esse tipo de arte com materiais reciclados atrai cada vez mais adeptos.

De decoração natalina a exposições, com um pouco de criatividade, plásticos, pneus, garrafas, latas, papéis e jornais, podem ser transformados em vários produtos. A criação de bolsas, cestas, porta-lápis, carteiras, cadeiras, sofás, puffs, almofadas e até mesmo roupas, estão entre as mais comuns e mais “práticas”. No entanto, há quem ouse mais.

Do lixo ao luxo

Artistas plásticos aderem, cada vez mais, à criação sustentável. Com a reutilização de materiais para a produção de obras eles atraem os olhares de curiosos e a atenção das pessoas em geral. Muitas vezes, a mudança é tão grande que os produtos finais não se parecem nada com material reciclado.

O brasileiro Vik Muniz, conhecido pelo documentário “Lixo Extraordinário”, que trata sobre o trabalho de catadores de lixo em aterros sanitários, é um dos mais renomados e reconhecidos na área. Em suas mãos, o lixo vira obra de arte.

Entre suas obras, destaque para os retratos sobrepostos com lixo e o trabalho realizado na Rio+20, no qual as pessoas podiam levar produtos reciclados para o artista compor a sua obra.

Em seu último trabalho, o artista plástico utilizou revistas de todos os assuntos para compor imagens de artistas famosos e de personagens anônimos.

A Bar at the Folies Bergere After de Edouard Manet
A Bar at the Folies Bergere After de Edouard Manet, por Vik Muniz. Foto: magriniartes

Nesse contexto, com o objetivo de mostrar a tecnologia moderna e os hábitos de consumo relacionados ao meio ambiente e à responsabilidade social, a artista plástica Debora Muskratz, realizou uma exposição em 2012, intitulada “Através do Vidro”.

Com vidro reciclado, ela transformou uma casa no bairro do Caxingui, na zona sul de São Paulo, em uma verdadeira obra de arte sustentável. O visual espelhado do local dava impressões diferentes às pessoas, de acordo com a luz e o movimento do momento.

Debora Muskratz
Obra “Através do Vidro”, por Debora Muskratz. Foto: Época São Paulo

Garrafas de plástico e espelhos também passaram pelas mãos da artista e foram transformados em vasos e outros objetos. Durante a exposição, Débora fixou residência no local.

Para ver

O artista plástico Jaime Prades, apresenta ao público 40 obras feitas a partir da reutilização de materiais. A exposição “Osso” acontece no Espaço Cultural Instituto Cervantes até o dia 08 de junho e tem como objetivo provocar a reflexão a respeito da voracidade da cultura de consumo.

Data: 19/04 a 08/06

Horário: de terça a sexta, das 14h às 22h, e aos sábados, das 9h às 15h

Local: Espaço Cultural Instituto Cervantes

Endereço: Av. Paulista, 2439, Consolação – São Paulo/SP

Entrada gratuita