Ilha no Pacífico tem a maior concentração de lixo plástico do mundo

1.109 Visualizações
© Depositphotos.com / mazzzur Ilha recebe mais de 13 mil objetos todos os dias.

Ao longo dos últimos anos, muitos dos problemas causados pela grande produção de lixo global fomentaram algumas soluções, e o cenário, que antes parecia ser uma questão sem interesse público, passou a ser – ainda que gradativamente – modificado. Longe dessa realidade, alguns lugares ao redor do mundo continuam a sofrer com o agravamento do problema, acabando submissos a condições execráveis de existência.

Localizada no meio do Oceano Pacífico, entre Nova Zelândia e Chile, a desabitada ilha Henderson, pertencente ao território ultramarino britânico Pitcairn, é o exemplo perfeito dessa situação. Segundo pesquisadores, o espaço de 3700 hectares é responsável pela maior concentração de lixo de plástico do planeta, com cerca de 17,6 toneladas do material.

Conforme destacou o estudo publicado na revista científica Proceedings of National Academy of Sciences, as areias da ilha reúnem de 21 a 671 itens plásticos por metro quadrado, distribuídos entre diversos tipos de objetos (embalagens, brinquedos, vasilhas, escovas de dente etc.). Em outras palavras, estima-se que existem aproximadamente 37,7 milhões de resíduos plásticos na ilha.

Lixo é despejado diariamente na ilha

Para explicar as razões que levaram Henderson a se tornar o maior “depósito” de lixo do material do mundo inteiro, pesquisadores de diversos países explicam que a ilha remota se localiza justamente no caminho de um vórtice de correntes marítimas conhecido como Giro do Pacífico Sul, responsável por carregar o lixo jogado de navios e de lugares como a costa oeste da América do Sul.

Para fazer os cálculos que levaram a essa conclusão, os especialistas limparam uma determinada parte da ilha para acompanhar de perto o acúmulo diário de lixo no local. Diante da experiência, a equipe confirmou que mais de 13 mil objetos chegam à Henderson dia após dia.

Fonte de alguns outros estudos, a pequena ilha está à mercê da comunidade internacional, que acredita que a maneira de reverter o cenário atual se passa na mudança de pensamento das pessoas sobre o uso do material.