Estudo da IUCN revela os impactos do aquecimento global para natureza e seres humanos

1.023 views
© Depositphotos.com / Vlad61 Os oceanos são responsáveis por absorver 93% de todo o calor extra gerado pelas mudanças climáticas.

O aquecimento global é um dos grandes problemas que vem assolando o mundo. Segundo um estudo realizado pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), esse problema está deixando os oceanos doentes, transmitindo uma séria de enfermidades para os animais e seres humanos, ameaçando assim a segurança alimentar de todo o planeta.

O estudo foi realizado por 80 cientistas de 12 países no Congresso de Conservação Mundial, que aconteceu no Havaí, e é o mais complexo e sistemático já feito sobre esse tipo de consequência. Segundo esse relatório, os oceanos estão cada vez mais absorvendo calor devido às emissões de gases do efeito estufa, prejudicando diversas espécies marinhas em sua reprodução. Para a vida humana o perigo se deve à propagação de doenças nos alimentos vindo dos oceanos, caso eles continuem a esquentar.

Foi divulgado também uma crescente no surgimento de bactérias do gênero vibrio, que causam a cólera, e de espécies tóxicas de algas que podem causar intoxicação alimentar. Mas o aquecimento, de acordo com o estudo, também é o motivo do aumento de cerca de 30% dos furacões que estão acontecendo em todo o planeta.

“Todos sabemos que os oceanos sustentam o planeta. Todos sabemos que os oceanos proveem cada segundo de ar que respiramos. E, no entanto, estamos deixamos os oceanos doentes”, disse o diretor-geral da IUCN, Inger Andersen durante o encontro.

Danos causados pelo aquecimento global

Na região da África Ocidental e no Oceano índico Ocidental, já vemos as consequências do aquecimento com a redução abundante de algumas espécies de peixes. Já no Sudeste Asiático é esperado que os peixes sejam reduzidos em cerca de 10% a 30% até 2050 em relação ao período de 1970-2000.

O que poucas pessoas sabem é que os oceanos são responsáveis por absorver mais de 93% de todo o calor extra gerado pelas mudanças climáticas desde 1970, fazendo com que as temperaturas fiquem mais amenas. Dan Laffoley, cientista do projeto alerta: “Se a mesma quantidade de calor que vem sendo enterrada nas camadas superiores dos oceanos tivesse sido liberada diretamente na atmosfera, a superfície da Terra teria esquentado devastadores 36 graus, ao invés de 1 grau no último século”.

O relatório “Explicando o aquecimento do oceano” ainda traz algumas recomendações para tentar diminuir esses danos, como a expansão das áreas marinhas protegidas, a introdução da proteção legal em alto mar, um estudo mais elaborado sobre os riscos sociais e econômicos relacionados ao aquecimento dos oceanos e a redução das emissões dos gases de efeito estufa o mais rápido possível.