Curitiba pode ganhar jardins do mel para aumentar a polinização na cidade

811 views
Pedro Ribas/SMCS Com a iniciativa, cidade pretende ver aumento de flores e frutas pelas ruas.

A Prefeitura de Curitiba está prestes a confirmar o lançamento de um importante programa para correção ambiental da cidade. De acordo com o evento que aconteceu em abril, a ideia do projeto é a criação de um jogo didático desenvolvido com o objetivo de promover a polinização natural da capital paranaense e ajudar na educação ambiental dos alunos da rede municipal.

Segundo o professor mestre Felipe Thiago de Jesus, idealizador do projeto, a ideia prevê a instalação dos chamados “Jardins do Mel” em 15 parques de Curitiba e a produção de materiais didáticos para as crianças das escolas municipais. Além do prefeito Rafael Greca, a apresentação contou também com a presença dos secretários do Meio Ambiente, Sergio Tocchio, e da Educação, Maria Silvia Bacila, e do presidente do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), Alexandre Jarschel de Oliveira.

“A ideia da Prefeitura é criar um grande programa de polinização da cidade e de difusão do conhecimento da importância da correção ambiental”, explicou Greca, conforme divulgou a agência de notícias da prefeitura de Curitiba. O prefeito destacou que a ação pretende disseminar abelhas de espécies nativas com ferrão atrofiado – que não é utilizado para defesa do animal.

“Vamos viabilizar os Jardins do Mel nos parques da cidade, de maneira que cada um seja o centro de um raio de dois quilômetros, que é a autonomia de voo das abelhas”, completou em outro trecho do discurso. Greca confirmou também que a equipe do projeto se reunirá com as secretarias do Meio Ambiente e da Educação, com a Fundação Cultural de Curitiba e com o Imap para toda estruturação do projeto.

“Assim, a maior parte do território da cidade será polinizada de maneira natural e, com isso, teremos mais flores e mais frutas em Curitiba”, finalizou o prefeito.
Felipe Thiago, junto de Meila Fabri, sócio criador do projeto, lembrou que há mais de 300 espécies de abelhas nativas no Brasil, ressaltando a importância destes insetos, que são responsáveis por um terço do cultivo agrícola e por 90% da polinização das árvores nativas.