Conheça os principais agentes da contaminação ambiental no Brasil

3.650 Visualizações
Agrotóxico
Foto: docol

O uso de substâncias químicas está presente em diversos setores da indústria, agricultura e sociedade. Porém várias têm efeito tóxico tanto à saúde quanto à natureza. No Brasil, vários agentes causam a contaminação ambiental. Um deles é o descarte do esgoto não tratado nos rios e mares. Cerca de 40% das residências brasileiras não têm acesso a saneamento básico e em boa parte dos casos em que o esgoto é coletado, não há tratamento. A pior situação encontra-se na região Norte.

Segundo dados do IBGE, apenas 38% de todo o esgoto produzido no Brasil recebe algum tipo de tratamento. O resto ameaça a saúde das pessoas e o meio ambiente. A cada dia, são despejados na natureza cerca de 15 bilhões de litros de esgoto sem tratamento. Isso resulta em doenças como diarreia, amebíase, ancilostomíase, ascaridíase, cisticercose, cólera, hepatite, infecções na pele e nos olhos.

Já nas lavouras, a utilização de agrotóxicos e pesticidas prejudica a saúde dos consumidores e principalmente dos trabalhadores rurais, que podem ter desde náuseas, tonturas, dores de cabeça ou alergias até lesões renais e hepáticas, cânceres, alterações genéticas, doença de Parkinson, entre outras. Estas substâncias são tóxicas e ainda contaminam o solo, dado o efeito cumulativo na terra.

Nos rios, uma questão que preocupa é o derramamento acidental de substâncias nocivas. Não é difícil encontrar notícias relacionadas a caminhões transportando óleo ou outros compostos que caem em rios e contaminam a água, naufrágio ou colisão de navios e rompimento de oleodutos, derramando petróleo no entorno litorâneo.

Água contaminada por mercúrio
Água contaminada por mercúrio. Foto: Divulgação.

A contaminação ambiental no Brasil ainda está presente nas águas. Estudos revelam que o mercúrio tem sido encontrado em altas quantidades nesse meio. O metal é emitido pelo homem por meio da mineração, queima de carvão e outros processos industriais e se deposita nos mares, contaminando também peixes e crustáceos que são consumidos pelo homem e podem resultar em danos irreversíveis ao sistema nervoso central, como tremores, perda de memória, dificuldades de audição, visão com redução do campo visual e do desempenho psicomotor e dificuldades motoras.