Confira alguns dos maiores desastres ambientais do mundo

14.927 views
flickr.com / Alex Kühni O desastre do Chernobyl foi o maior acidente provocado pelo homem em toda a história.

Alguns crimes contra a natureza são tragicamente memoráveis. Imagens icônicas, como as das bombas em Hiroshima e Nagasaki, as manchas negras de petróleo derramado pela extensão do Golfo do México, ou o que se tornou Chernobyl após o acidente radioativo, dificilmente serão esquecidas.

Muitas vezes as ações do homem sobre o meio ambiente podem impactar na destruição de ambientes naturais e provocar desequilíbrios que chegam a se perpetuar por décadas. Alguns acidentes ambientais marcam os noticiários até os dias atuais e evidenciam a complicada e destrutiva relação entre o homem e o meio ambiente.

Confira abaixo alguns dos maiores desastres ambientais que marcaram o mundo:

1945, ataque nuclear em Hiroshima e Nagasaki

Duas grandes e importantes cidades do Japão foram bombardeadas pelos Estados Unidos entre os dias 06 e 09 de agosto daquele ano. Os ataques foram conduzidos pela Força Aérea Militar dos Estados Unidos, sob ordens do presidente Harry. S. Truman, e contribuíram para o fim da Segunda Guerra Mundial.

O primeiro ataque foi realizado em Hiroshima, com a bomba atômica “Little Boy” e causou a morte de 140 mil pessoas. Três dias depois, a bomba com o nome de “Fat Man”, foi lançada em Nagasaki, ocasionando a morte de pelo menos 80.000 mil pessoas, em decorrência da exposição radioativa.

Os efeitos das bombas, no entanto, não se caracterizam apenas pelas mortes e destruição imediatas. Por causa da radiação, pessoas continuam morrendo, vítimas de problemas herdados geneticamente. Alguns nascem com má formação física e doenças respiratórias.

1980, Cubatão, o vale da morte

O crescimento industrial desgovernado fez de Cubatão a cidade mais poluída do mundo. No início década de 1980, a cidade ficou conhecida como o “Vale da Morte”, devido a quantidade de gases tóxicos produzidos e liberados na atmosfera pelas indústrias.

Entre 1981 e 1982, a fauna local sumiu da região, pois não havia condições naturais para sobreviverem e nem para se reproduzirem, a sujeira comprometeu a água e o solo, causou chuvas ácidas e deslizamentos na região da Serra do Mar. A névoa venenosa que pairava sobre a cidade fez de Cubatão a cidade líder em problemas respiratórios, com altos índices de crianças nascendo com má-formação, acefalia ou mortas.

Um longo e efetivo processo de recuperação, que começou em 1985, com a participação de todos os setores da sociedade, Cubatão foi considerada pela ONU a “Cidade-símbolo da Recuperação Ambiental”.

1986, exposição à radiação em Chernobyl, na Ucrânia

Em abril daquele ano, a explosão de um dos quatro reatores de Chernobyl, na Ucrânia, liberou radiação pelo menos 100 vezes maior que a das bombas de Hiroshima e Nagasaki, ocasionando a morte imediata dos funcionários da usina. O acidente atingiu o nível 7 na Escala Internacional de Eventos Nucleares, tornando-se o maior acidente provocado pelo homem em toda a história.

A nuvem nuclear se expandiu pela atmosfera e afetou milhares de quilômetros de florestas. Nos anos seguintes, 10 mil pessoas perderam a vida e outras 40 mil contraíram doenças, em decorrência da exposição à radiação.

Dadas as proporções, a limpeza do local e a contenção da radiação foram ineficientes. Pouca coisa mudou com relação à radiação e ao isolamento da região, que se tornou uma “cidade fantasma”.

1989, derramamento de petróleo do navio Exxon Valdez

Muitas são as tragédias ambientais causadas por derramamento de petróleo. A segunda maior delas foi provocada pela embarcação Exxon Valdez, que naufragou e espalhou cerca de 42 milhões de litros de petróleo na água.

A água se transformou em uma maré negra, de um líquido preto e viscoso, que matou mais de 250 mil aves, incontáveis baleias, lontras marinhas e peixes e comprometeu, além de toda a fauna, as atividades dos moradores e pescadores da região.

Os esforços da gigante do petróleo para recuperar a área atingida, no entanto, foram pouco efetivas. Estudos recentes, publicados pela revista científica Science, revelam que a recuperação da área está longe de alcançar um nível ideal. A região continua a apresentar problemas resultantes dos resíduos do petróleo derramado.

2010, explosão da plataforma Deepwater Horizon, Golfo do México

O maior desastre causado pelo derramamento de petróleo do mundo se estendeu pelo Golfo do México. A plataforma Deepwater Horizon, da petrolífera inglesa British Petroleum (BP), explodiu e causou a morte de trabalhadores e o vazamento de cerca de 5 milhões de barris de petróleo na costa dos Estados Unidos.

O petróleo derramado se espalhou por mais de 1.500 km no litoral norte-americano, contaminando e matando milhares de animais. Até hoje os efeitos do vazamento provocam anormalidades no desenvolvimento de espécies marinhas.