CDP indica aumento entre as empresas com programas de gestão ambiental e transparência

329 views
Desmatamento
Foto: dusantos_bh

No último dia 2 de dezembro, o CDP (Carbon Disclosure Project), organização internacional sem fins lucrativos, divulgou o Global Forests Report 2013, relatório anual que avalia a relação entre os procedimentos desenvolvidos pelas empresas e a utilização de biocombustíveis, madeira, soja, óleo de palma e criação de gado. A publicação foi lançada em evento no The Royal Society, em Londres (Inglaterra), e contou com a presença do príncipe Charles.

Apoiado por 184 investidores, que movimentam aproximadamente 13 trilhões de dólares, o CDP examinou quesitos como transparência de informação e prestação de contas sobre o uso de commodities (matérias-primas) agrícolas críticas, citadas anteriormente. Vale ressaltar que a entidade solicita dados sobre os desempenhos ambientais das corporações através de questionários e, nesta edição, obteve respostas de 139 companhias.

Embora o levantamento tenha registrado aumento de 27% entre as companhias que implantaram ações para gerenciar a exploração de recursos naturais e metas para mitigar as disseminações de substâncias tóxicas à atmosfera, apenas algumas organizações como Unilever, Nestlé e British Airways desenvolvem esse tipo de programa há mais de cinco anos. Enquanto isso, o desmatamento tem sido responsável por 15% das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) no planeta.

No entanto, a comunidade empresarial ainda demonstra falta de conhecimento sobre os riscos que o desflorestamento pode provocar à suas cadeias de suprimentos, algo que afeta diretamente as operações desenvolvidas pelos empreendimentos. Segundo os representantes corporativos que concederam informações ao Global Forests Report de 2013, os fatores que dificultam uma maior proteção das áreas verdes são estes: incerteza regulatória, desafios com certificações e falta de “rastreabilidade” nas cadeias de suprimentos globais de commodities.

Desmatamento
Foto: dusantos_bh

O McDonald’s (EUA), na categoria de “Hotéis, Restaurantes e Lazer” e Kimberly-Clark (EUA), no setor de “Produtos Domésticos e Pessoais”, estão entre as empresas que mais se destacaram no relatório. As companhias brasileiras Ilha Pura – Empreendimentos Imobiliários; a produtora e exportadora de papéis Klabin; o frigorífico JBS e a Marfrig Alimentos também foram incluídas à lista. Por outro lado, Petrobras, Grendene, Souza Cruz, grupo Hypermarcas e as lojas Americanas, Renner e Marisa sequer enviaram seus dados ao estudo produzido pelo CDP.