Causas e consequências da desertificação no Brasil

8.015 Visualizações

Processo resultante das atividades humanas e de variações climáticas, a desertificação é caracterizada pela degradação da terra nas zonas áridas, semiáridas e secas, afetando aproximadamente 60 mil Km² de terras por ano em todo o planeta.

Zona Desertica
Foto: patt_meeples

O desmatamento, uso intenso do solo, a ocupação humana, práticas inadequadas de irrigação, fertilização química do solo e a mineração excessiva são atividades bastante conhecidas e, também, consideradas as principais causadoras da desertificação no Brasil. Podemos destacar, também, o uso inadequado e desenfreado dos recursos naturais da Caatinga e do Cerrado.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, 1.480 municípios brasileiros estão suscetíveis a esse processo. A maioria deles localizados nos estados do Nordeste, Mato Grosso, Minas Gerais e Espírito Santo. O número representa aproximadamente 16% do território nacional.

Araras
Foto: cyromasci

Com a desertificação, também vem os problemas. A formação de desertos altera todo o ecossistema, com a modificação dos habitats e os costumes da flora e da fauna da região. Eliminando, desta forma, milhares de espécies.

Podemos destacar também a salinização e alcalinização do solo, intensificação do processo erosivo, redução da disponibilidade e da qualidade dos recursos hídricos, diminuição na fertilidade e produtividade do solo e redução das terras agricultáveis.

Desta forma, o processo afeta diretamente a população humana, já que com todos os problemas relacionados acima, inicia-se um processo migratório muito forte devido à falta de emprego, ocasionada, principalmente, pela baixa produção e diminuição do investimento de empresas.

Com isso a economia da região também é abalada, já que ocorre a diminuição de consumo e de produção, fatores que influenciam diretamente na arrecadação de impostos e na circulação da renda, fragilizando o município e tornando-o uma região pobre. Estima-se que no Brasil 85% da pobreza se concentra em áreas desertificadas e/ou suscetíveis a isso.

Recuperação das áreas perdidas

O Brasil, junto com outros 192 países, participa da Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos das Secas – UNCCD (sigla em Inglês). A convenção estabelece metas internacionais de soluções que atendam às demandas socioambientais nos espaços agredidos.

No entanto, o processo de recuperação é complexo e demorado, já que engloba ações de longo prazo e inclui conscientização política, econômica e social.