Por que utilizar o gás natural veicular?

385 Visualizações
Gás natural
Foto: sprex

O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves, como etano e metano – este último com teor mínimo em torno de 87% – mas sua composição pode variar de acordo com o reservatório, processo de produção, condicionamento ou transporte.

Ele é uma fonte de energia não-renovável e um tipo de combustível fóssil polivalente encontrado no subsolo, em depósitos minerais terrestres ou marinhos e rochas porosas associadas ao petróleo. É resultado da degradação da matéria orgânica acumulada de forma anaeróbica, ou seja, sem contato com o oxigênio, proveniente de grandes quantidades de micro-organismos.

O gás natural veicular tem sido um substituto muito procurado como alternativa ao álcool e à gasolina por sua economia de consumo: um metro cúbico de gás natural veicular equivale a 1,22 litros de gasolina e a economia pode chegar a 66%, mesmo com o custo de conversão do veículo.

A razão e a consequência da aceitação e uso deste tipo de combustível estão ecologicamente ligadas: devido à sua composição, a queima deste combustível, por ser mais limpo que os demais, libera menos dióxido de carbono na atmosfera e não lança compostos que produzem chuva ácida em contato com a umidade atmosférica, tendo menor incidência no agravamento do efeito estufa.

Nos veículos, a queima do gás natural é mais lenta do que a da gasolina ou álcool, por isso há um adiantamento na ignição para compensar esse tempo da mistura entre o ar e o combustível. Esse processo pode incluir dispositivos eletrônicos instalados no sistema de ignição ou a injeção de outro combustível em pequena quantidade junto com o gás natural. Tais modificações são feitas no momento da transformação e condicionamento do veículo em oficinas especializadas neste tipo de serviço.

Gás natural veicular
Foto: ebah

Os maiores benefícios do uso do gás natural podem ser vistos não apenas em seu uso final, mas desde sua obtenção: os poços e instalações de tratamento são de pequeno porte, interferindo de maneira pouco significativa no ambiente terrestre ou submarino; não há necessidade de refinamento, como na obtenção do diesel e gasolina; seu transporte é mais limpo e seguro, seja através de gasodutos ou navios metaneiros; os terminais onde serão distribuídos geralmente estão localizados em zonas portuárias e não geram poluição sonora e atmosférica.

Apesar de ser uma fonte de energia não-renovável, com tantas vantagens envolvidas na obtenção e uso do gás natural veicular, comparadas aos combustíveis utilizados atualmente, esta pode ser a resposta técnica, econômica e ecologicamente mais viável que se busca atualmente com relação aos fatores ambientais de preservação e sustentabilidade na área dos transportes.