Governo do Rio de Janeiro lança programa de reciclagem de óleo em escolas públicas

535 Visualizações
Óleo de cozinha
Foto: verdeambiente

Desde o último dia 18 de novembro as escolas públicas do estado do Rio de Janeiro passaram a reciclar óleo de cozinha, visando reutilizar o material na produção de sabão e fontes de energia alternativa. A medida faz parte das ações de incentivo à sustentabilidade que são desenvolvidas pelo Programa de Reaproveitamento de Óleos Vegetais (Prove), criado pela Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), em parceria com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

O objetivo do projeto é minimizar o desperdício de óleo vegetal, uma vez que este produto é frequentemente despejado em ralos e lavatórios, isto é, uma prática que causa danos aos encanamentos das construções e prejudica as instalações das concessionárias de saneamento. Além disso, o Prove evita que populações residentes em regiões desprovidas de rede coletora de esgoto despejem substâncias poluentes em rios, córregos e lagos.

A iniciativa foi lançada no Colégio Brigadeiro Schorcth, cujas ações ecologicamente corretas já renderam uma viagem pela América do Sul a três de seus professores. Na ocasião, os docentes utilizaram um carro Mercedes-Benz 58, movido a óleo de cozinha reciclado pelos alunos da escola, para percorrer 29 cidades do Uruguai, Chile e da Argentina, coletando informações para serem usadas nas aulas. Durante a expedição de 37 dias, dos 22.720 km de trajeto, os educadores circularam por cerca de 8 mil km com o combustível criado pelos estudantes.

Sabão de óleo
Sabão de óleo. Foto: blogodorium

Atualmente, para colaborar com a reciclagem de óleo, é preciso procurar por ecopontos presentes em postos de combustível e cooperativas de reciclagem de lixo, o que, infelizmente, prejudica a coleta seletiva.

No entanto, com a implementação das ações do Prove, as outras 10 instituições de ensino participantes desta primeira fase passarão a disponibilizar estações para recolhimento do produto, o que contribuirá para que o óleo vegetal passe a ser reutilizado cada vez mais, beneficiando as cidades e a natureza.