Cantinas do DF só poderão oferecer alimentos saudáveis

393 views
iStockphoto.com / lucato Instituições de ensino têm 90 dias para se adequar às novas regras.

No universo da nutrição já é consenso entre profissionais que a alimentação saudável precisa ser ensinada e praticada desde o momento no qual a criança desmama e passa a experimentar comidas que farão parte de toda a vida dela. Quanto mais cedo a criança é apresentada a variedades de frutas, verduras, legumes, carboidratos e proteínas, maiores são suas chances de ter um crescimento saudável e livre de doenças.

Uma decisão do Distrito Federal vem auxiliar na formação do paladar e de uma dieta saudável para crianças matriculadas em escolas públicas e privadas. As cantinas dos colégios estão proibidas de vender doces, refrigerantes, frituras e produtos industrializados. A medida passa a valer já no próximo ano quando as cantinas terão de se adaptar com a venda de legumes, frutas, sucos naturais, iogurte, bebidas lácteas, sanduíches naturais sem maionese, pães e biscoitos integrais, tortas ou salgados assados e barras de cereais sem chocolate.

O decreto faz parte do Pacto Nacional pela Alimentação Saudável, lançado recentemente pela presidenta Dilma Rousseff. Arnoldo de Campos é secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e defende a medida como um importante passo para a formação de hábitos saudáveis de alimentação.

Crianças que não se alimentam de forma saudável têm mais chances de serem adultos com problemas de obesidade, diabetes, problemas cardiovasculares e outras complicações ao longo da vida. A população mundial passa por um momento de alerta para a epidemia de obesidade que ano a ano se torna mais devastadora e somente a prevenção desde a infância é capaz de frear esse avanço.

Quanto maior é o contato da criança com os alimentos saudáveis e quanto mais exemplos ela recebe em casa e na escola, mais fácil fica a criação de um paladar saudável, diversificado e saboroso. O pacto já possui interesse de adesão de outros governos estaduais e municipais. Que a ideia se espalhe por todo o Brasil.