Japão vai transformar campos de golfe abandonados em centrais solares

363 Visualizações
Reprodução / Kyocera Parte de um projeto de energia solar concluída em um campo de golfe de Miyazaki, Japão.

Por ser um país territorialmente pequeno em relação à sua população, o Japão sempre busca aproveitar ao máximo os espaços e, após os problemas em Fukushima, o país passou a investir em fontes de energia renováveis. Por isso, a empresa de energia solar Kyocera anunciou que pretende construir grandes parques solares sobre campos de golfe abandonados no país.

Apresentando amplas áreas abertas de terra, elevada exposição ao sol e uma baixa concentração de árvores, os campos de golfe abandonados são boas alternativas para projetos de fazendas solares produtivas.

O excesso dessas áreas reflete o auge imobiliário vivido pelo Japão no início dos anos 90, quando foram financiadas as construções de centenas de campos, pois os clubes de golfe japoneses tinham muitos sócios e eles pagavam caras anuidades. Entretanto, vários desses locais provaram ser economicamente insustentáveis com o tempo.

Recentemente, a empresa comunicou a construção de uma usina solar de 23 megawatts (MW) na província de Kyoto. Previsto para funcionar em setembro de 2017, o parque produzirá mais de 26 mil megawatts – hora/ano, capaz de fornecer eletricidade para 8.100 casas. Esta central se tornará a maior matriz de energia solar na região.

A Kyocera também está desenvolvendo um projeto para uma instalação maior em um campo abandonado em Kagoshima. Com início das obras em 2016, a usina de energia solar de 92 MW irá utilizar uma área que foi designada e liberada para um campo de golfe há 30 anos, mas que havia sido abandonada.

Segundo a empresa, a planta contará com mais de 340 mil módulos solares e gerará cerca de 100 mil megawatts – hora/ano, suficientes para abastecer mais de 30.500 residências. O projeto poderá operar em 2018.

Na província de Okayama a empresa Pacifico Energy também está construindo um parque de energia solar em um campo de golfe abandonado. Com capacidade de 42 MW, esta central está planejada para iniciar operação no segundo trimestre de 2016.

A nova estratégia energética do Japão, com o processo de rescaldo da usina nuclear de Fukushima, que foi afetada depois de um terremoto e tsunami em 2011, é, se possível, dobrar a quantidade de fontes de energia renováveis no país até 2030.

Projetos de centrais solares em outros países

Com repercussão em outros países, a ideia de utilizar os espaços de campos de golfe abandonados chegou aos Estados Unidos.

Após a queda de interesse pelo esporte, alguns campos estão condenados ao abandono e os planos para substituí-los por parques solares já começaram em Nova Iorque e Minnesota. Inclusive, várias cidades em estados como Flórida, Utah e Kansas estão tendo discussões públicas sobre as melhores propostas para redirecionar campos de golfe fechados.