Kopi Luwak ou Civeta: Saiba como é produzido o café mais caro do mundo

2.941 views
Fonte: NY Times As civetas são mantidas em pequenas gaiolas para a produção dos grãos.

O tipo mais caro da segunda bebida mais consumida no mundo é responsável pelo encarceramento de vários animais na Indonésia. O Kopi Luwaki, produzido através de grãos de café retirados das fezes do civeta – pequeno mamífero carnívoro, com pelagem manchada e focinho pontiagudo -, é vendido como uma iguaria extremamente valiosa, porém, existe todo um contexto obscuro por trás desta valorização.

Promovido como um artigo silvestre, colhido nas florestas a partir de excrementos de animais livres na natureza, o Kopi Luwak ganhou notoriedade após aparecer no programa da apresentadora americana Oprah Winfrey e no filme Antes de Partir, estrelado por Morgan Freeman e Jack Nicholson, em 2007, quando ganhou a fama de ser o café mais caro do mundo. Mas a realidade não é bem essa.

A produção se baseia em alimentar os animais com os frutos das plantas de café e depois recolhê-los das fezes do mamífero. A civeta não chega a digerir todo o grão de café maduro, as enzimas de seu estômago o modificam e fornecem características diferenciadas. O metabolismo do mamífero é capaz de aproveitar a polpa da baga, mas a semente não é digerida e então é devolvida, mais rica, à terra.

Fonte: telegraph.co Vendido como iguaria, o Kopi Luwak é extraído das fezes das civetas.

Realmente, antes de o café Kopi Luwak explodir no mundo como iguaria, os produtores recolhiam os sedimentos das civetas na floresta, no entanto, há alguns anos a maioria conta com fazendas onde mantêm os animais enjaulados. Porém, os produtores continuam com o discurso de que recolhem os grãos dos animais silvestres para inflacionar os preços. Em restaurantes, o preço da xícara do café pode chegar a cerca de US$ 95 (R$ 215), e boa parte deste valor é atribuído à dificuldade da produção.

Em uma viagem à Ilha da Sumatra, jornalistas do canal britânico BBC e do jornal The Guardian foram conferir as fazendas dos produtores locais. Eles encontraram gaiolas mal cuidadas e apertadas, além de civetas gravemente feridos, cenário totalmente oposto ao vendido para o consumidor.

Os animais são separados de seus pares e mantidos em pequenas gaiolas. Sua dieta é extremamente pobre em nutrientes e baseada quase que exclusivamente em grãos de café, que muitas vezes nem estão maduros.