Conheça os 4 diferentes tipos de clonagem

855 Visualizações

O processo da clonagem ficou mundialmente famoso em 1996, quando o Instituto Roslin, sediado na Escócia, tornou público a produção da primeira Clonagem Reprodutiva realizada em uma ovelha, posteriormente nomeada de Dolly. Realizado por um grupo de embriologistas liderado pelo doutor Ian Wilmut, a técnica foi introduzida pela primeira vez em um mamífero, sendo executada por meio de uma célula somática de glândula mamária de um animal adulto.

Inicialmente, a técnica seria usada na engenharia genética aliada à medicina, para proporcionar e evoluir meios de benefício a população, já que os estudos levariam possíveis tratamentos e cura de enfermidades, diminuição de transplantes de órgãos e até correção de defeitos genéticos e casos de infertilidade.

Nunca foi um segredo que cientistas e especialistas sempre se interessaram em aperfeiçoar a técnica e consolidar este tipo de procedimento, visando principalmente os avanços que poderiam conquistar através de estudos na área (não apenas para a humanidade, como também para a natureza animal, por exemplo). E por isso, ano após ano, o processo de clonagem tem sido estudado de diversas formas, com o objetivo de tornar sua realização um método dominado.

O que é?

A clonagem é um procedimento artificial tracejado na reprodução de cópias genéticas (organismos idênticos) de determinados seres vivos através de um filamento de DNA. Ao contrário de se utilizar os gametas sexuais masculinos (espermatozoides) e femininos (óvulos), é executado usando as células somáticas, onde, retira-se o núcleo das células e coloca-se no lugar uma célula somática.

Tipos

No total, existem 4 diferentes tipos de clonagem. São eles:

  • Clonagem Natural: processo no qual o zigoto se divide, dando origem a dois zigotos independentes, possuindo o mesmo genoma (gêmeos univitelinos).
  • Clonagem Induzida: realizada artificialmente em laboratórios, a reprodução assexuada utiliza duas células mãe, que produzirão seres idênticos ou clones.
  • Clonagem Reprodutiva: consiste na remoção do núcleo de um óvulo e substituição por um outro núcleo de outra célula somática.
  • Clonagem Terapêutica: utilizada na reprodução de células-tronco, o processo é semelhante à clonagem reprodutiva, porém não é introduzida no útero.

Controvérsia

Diversos questionamentos surgiram desde que se tornou público o caso da clonagem, e até hoje não é efetivamente comprovado se a prática já foi realizada em humanos em laboratórios. Contudo, a prática levanta questões morais e éticas, mesmo visando vantagens a população, pois estudiosos creem que o processo futuramente pode afetar a individualidade dos indivíduos, uma vez que o procedimento é caro, e se tornando um comércio ficaria acessível apenas para uma parte da população.

Por outro lado, a questão religiosa levanta argumentos sobre a intervenção que o procedimento tem diretamente com o ideal de família, pois a hereditariedade não seria respeitada e o indivíduo clonado não seria exatamente reproduzido de pai e mãe.

Até o momento, a evolução da técnica de clonagem se desenvolve mais solidamente e com maior suporte para o estudo sobre a clonagem de espécies vegetais. A micro propagação é uma forma rápida de multiplicar alguns tipos determinados de planta, e continua conquistando espaço no cenário agrícola por seus inúmeros benefícios (entre eles, a sustentabilidade ambiental).