Cadela surfista muda vida de pessoas com necessidades especiais

206 Visualizações
Reprodução / Facebook Ricochet acompanha desde crianças com necessidades especiais até combatentes com lesões.

Conhecido como o melhor amigo do homem, o cachorro é um dos animais preferidos entre a população de todo o mundo. Cheios de personalidade, dóceis, protetores e companheiros, o pet conquista facilmente as pessoas com demonstrações de carinho. Só no Brasil, eles estão presentes em mais de 37 milhões de lares.

Além das qualidades já citadas, os cachorros têm algumas particularidades que chamam a atenção, como o poder de ajudar no tratamento de doenças. É o caso da cadela Ricochet, que ficou famosa nos últimos tempos por ser surfista e mudar a vida de pessoas com necessidades especiais.

Desde que nasceu, seu dono soube que ela ajudaria as pessoas de várias formas. Mas foi apenas quando saltou sobre a prancha de surfe onde estava Patrick Ivison, um garoto quadriplégico de 14 anos, que ele teve certeza de que Ricochet era especial.

A missão de Ricochet

Reprodução / Facebook Ricochet é “embaixadora” de uma ONG que cuida de jovens com sequelas na coluna vertebral..

Ela surfou com pessoas com diferentes deficiências por seis anos. Os seus companheiros de água vão desde crianças com necessidades especiais, até combatentes com lesões e veteranos com PTSD (Estresse devido a Desordens Pós-Traumáticas).

Dentre os principais casos, está o de Jill, que perdeu uma de suas pernas devido a um câncer. Ela serviu de pivô para que ele pudesse se estabilizar em cima de uma prancha. No caso de Gina, que tem autismo, Ricochet foi fundamental para dar mais autoconfiança à menina. Ao que parece, a cadela teve uma bela percepção sobre a menina e entrou no seu mundo particular. Hoje em dia, ela é dona de si mesma sobre a prancha.

O animal encanta pessoas de todas as idades. Caleb viu Ricochet surfando com crianças numa emissora de TV. Quando o quadro “Faça um Pedido” lhe perguntou o que ele mais queria, ele respondeu que queria surfar com ela. Infelizmente, seis semanas depois, o jovem perdeu a batalha contra um câncer no cérebro. Mas, claro, não sem antes entrar em contato com a cadela. Sua felicidade nas imagens registradas é contagiante.

Com a habilidade extraordinária de fazer conexões profundas com as pessoas, a cadela consegue intervir emocionalmente a ponto de alterar estados emocionais e físicos dessas pessoas. Muitos a definem em uma palavra: cura!

Cadela é embaixadora de organizações

Sua intuição e seu poder de fazer com que as pessoas se sintam mais livres e felizes tornaram Ricochet “embaixadora” de uma organização que autoriza jovens com sequelas na coluna vertebral a curtirem a liberdade de surfar.

Ela também faz parte de uma estratégia para ajudar na integração entre causas sociais, como conscientizar a sociedade sobre a importância na doação de órgãos, entre outros. Com o lema “Pata que vai além”, ela já arrecadou R$ 1.200.000,00.