Brasileiros criam descarga que economiza em até 80% o consumo de água

A novidade utiliza uma solução química biodegradável para desodorizar a urina e higienizar o vaso sanitário, sem utilizar uma gota de água da descarga

15 de dezembro de 2014
publicado por
Aline Cavalcanti

Com a crise hídrica que afeta boa parte do Brasil, economizar água e evitar o desperdício se tornou quase lei, entretanto, o banheiro é o cômodo que mais consome água nas casas e prédios. Pensando em resolver este problema, uma empresa criou o Piipee, um dispositivo que utiliza uma pequena porção de solução química biodegradável para desodorizar a urina e higienizar o vaso sanitário, sem utilizar uma gota de água da descarga.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), cada pessoa necessita de cerca de 110 litros de água por dia para atender as necessidades de consumo e higiene, entretanto, esse consumo no Brasil pode chegar a mais de 200 litros por dia. Segundo essa estimativa, utilizar mais do que 110 litros já é considerado jogar dinheiro fora e desperdício dos recursos naturais.

Reprodução/Supreinteressante A novidade deve estar disponível em janeiro do próximo ano e custará em torno de 30 reais.

As descargas de parede gastam 15 litros de água em cada acionamento, já com o vaso acoplado, esse consumo cai para seis litros. Com o Piipee, o consumo de água nas bacias sanitárias é reduzido em até 80%.

O dispositivo consiste em um suporte plástico, produzido com produtos recicláveis, que é instalado na borda do vaso sanitário. Além de ser ecologicamente correto, pois é biodegradável, o Piipee também é bactericida e antialérgico.

Quando o usuário urinar, ao invés de dar descarga convencional, ele deve acionar o Piipee e um spray será disparado em todo o interior do assento.

De acordo com os criadores, a solução bioquímica, que contém essência de eucalipto, pinho e óleos naturais, age nas características físico-químicas da urina, removendo o odor, alterando a coloração, odorizando e higienizando o banheiro. Além disso, o Piipee usa pouco mais de 1ml de solução por aplicação, o que garante uma boa vida útil para o refil. Vale lembrar que esse sistema não se aplica aos resíduos sólidos, apenas à urina.

Mas esse dispositivo é caro? A estimativa é que o suporte custe entre 25 e 30 reais e o refil, com capacidade para 250 acionamentos, deve custar até cinco reais.

Mesmo com o protótipo pronto, o projeto está em busca de mais parcerias e financiamento, mas as vendas do Piipee devem começar em janeiro de 2015. Inclusive, dá pra fazer cadastro na lista de pré-vendas no site.

Formada por apenas três pessoas (Ezequiel Vedana, Ariane Tamara Pelicioli e Bruno Rafael de Souza), a empresa está sediada na cidade de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul. A ideia do Piipee já esteve entre as melhores do Desafio Brasil edição 2013, que é uma rede colaborativa para a contrução de ideias empreendedoras, e foi finalista da edição de 2014 do Inovativa Brasil, um programa para capacitação, aceleração, mentoria e conexão de negócios inovadores.