Tecido feito a partir do cogumelo pode substituir o couro e a camurça

1.217 views
Materia/ Grado Zero Espace Peça não-tóxica evita a proliferação de bactérias.

A indústria da moda é reconhecidamente um dos setores mais prejudiciais para o meio ambiente, responsável pela emissão de uma das maiores quantidades de gases de efeito estufa. Até por isso, uma grande tendência de novos conceitos estéticos tem sido lançada ao longo dos últimos anos, trazendo boas novas para o mercado e também para o meio ambiente.

Recentemente, uma empresa italiana conhecida como Grado Zero Espacce desenvolveu um tecido feito à base de cogumelos e altamente resistente. O Muskin, nome dado à invenção, chamou a atenção dos seus desenvolvedores pela semelhança do material com a camurça e também com o couro. A principal vantagem do novo tecido é o fato de ser completamente natural, tornando-o valiosíssimo para o desenvolvimento sustentável.

Segundo os italianos, o Muskin tem as características necessárias para se tornar um sucesso no mundo da moda, não só por sua qualidade estética e conforto das peças, mas, sobretudo, pela maneira como o tecido é fabricado. Em seu site, os criadores explicam que o material é obtido a partir da extração da parte superior dos cogumelos, onde ocorre todo o processamento natural que resultará no Muskin.

As principais qualidades do tecido, quando comparado com o couro e a camurça, é o fato de ser um material não-tóxico, além de não estimular a proliferação de bactérias e liberar toda umidade absorvida quando exposto a lavagens. Todos estes aspectos valorizam ainda mais o material, já que o Muskin poderá ser usado em peças que entram em contato direto com a pele das pessoas.

A venda do tecido, ainda que com estoque limitado, já está disponível, com garantia do fabricante de que a empresa já conta com estrutura suficiente para atender produções em pequenas escalas. Sendo comercializado no tamanho médio de 20x40cm, o Muskin pode ser aproveitado para confecção de bolsas, chapéus, calçados e outros acessórios.