Pausa para uma reflexão!

530 Visualizações

Recentemente fiz uma viagem de volta ao mundo com meu namorado onde tivemos a oportunidade de visitar diversos parques em diferentes países. Entretanto, fiquei encantada quando uma amiga alemã, que conhecemos na Indonésia, postou na internet belas fotos do Parque do Ibirapuera em sua primeira visita ao Brasil. Ela fotografou um parque diferente, que eu não conhecia. Simplesmente, um lugar verde, florido e vivo, no meio da cidade de São Paulo. Aquele Ibirapuera atraiu minha atenção!

Parque do Ibirapuera
Parque do Ibirapuera – Arquivo pessoal

Quando retornamos para o Brasil, resolvemos fazer parte de um grupo de Qualidade de Vida onde todas as terças e quintas, às 6h30 da manhã, nos reunimos no bosque do Parque do Ibirapuera, para fazer exercícios e atividade de equilíbrio e força. Este grupo me proporcionou experiências sensacionais que jamais imaginei ter em São Paulo, como por exemplo, ver o dia amanhecer em um lugar tranquilo, ouvir o sutil canto dos pássaros e fazer caminhadas em trilhas em meio às majestosas árvores, que por sua grandeza esbanjam sombra e frescor. Além do mais, no “Ibira” (como é mais conhecido) é possível respirar um ar mais fresco, apreciar patos e cisnes se espreguiçando no lago ou simplesmente relaxar e esquecer por alguns segundos da corrida maluca e desenfreada que nos acomete a todo instante.

Mas o que isso tem a ver com “sustentabilidade”?

Acredito que tudo parte de um princípio básico. Como podemos desejar um mundo melhor se não estamos cuidando de nós mesmos? Precisamos parar para refletir quem somos nós e para onde queremos ir na vida!

Como desejar um mundo melhor […] se nem cuidamos de nós mesmos primeiro. Precisamos olhar para dentro de nós e começar pelo nosso corpo, mente e espírito, que por muitas vezes não damos atenção, maltratamos e postergamos atitudes de mudanças […] Problemas sempre existirão, tudo depende de como você vai interpretá-los!

Nós não vivemos em harmonia com o nosso ambiente, não conhecemos o que comemos e como é produzido. Nem ao menos nos interessamos em saber o que são todos aqueles ingredientes químicos que nos vendem em uma embalagem de batata frita (com certeza não são naturais). Muitas vezes não gostamos do nosso trabalho e do que fazemos. Imaginem passar a maior parte da vida fazendo algo que não gostamos! Fazemos coisas por obrigação, estamos estressados e cansados da rotina, desejando sempre que a sexta-feira chegue logo, quando deveríamos apreciar cada dia da semana como se só existisse aquele dia.

Como é possível aproveitar uma manhã ensolarada de domingo quando nossa cabeça está a mil com preocupações que fogem da nossa capacidade? “Pré-Ocupações” futuras que no presente não poderemos resolver.

Como desejar um mundo melhor, sem violência, sem agressões ao meio ambiente, sem maus-tratos aos animais e sem poluição? Se nem cuidamos de nós mesmos primeiro. Precisamos olhar para dentro de nós e começar pelo nosso corpo, mente e espírito, que por muitas vezes não damos atenção, maltratamos e postergamos atitudes de mudanças, empurrando os problemas para frente sem fazer nada diferente. Problemas sempre existirão, tudo depende de como você vai interpretá-los!

Às vezes precisamos parar, respirar fundo, organizar e reciclar nossa vida, nossos amigos, nosso trabalho e ter um lugar na agenda que tenha nosso nome, como o de um cliente muito importante! Gostaria que você que está lendo essa coluna, pare e responda a seguinte pergunta: Onde você está na sua agenda? Que tal essa semana parar e ver para onde você quer ir?

Fazendo isso e se conhecendo como pessoa, como um ser da natureza que deve estar em equilíbrio com o meio ambiente, poderemos olhar para o próximo com mais amor e compaixão. Poderemos olhar para os animais, para a natureza, para os problemas, os conflitos e compreender as diferenças, aceitar os defeitos e fazer o seu melhor com muita dedicação.

Quero terminar a coluna de hoje com duas frases que gosto muito, que dizem assim:

“É muita irresponsabilidade levar a vida tão a sério” – Renato Cobra

“Loucura é querer um resultado diferente agindo da mesma forma” – Albert Eisten

Uma ótima semana a todos!

Beijos.

Artigo anteriorConheça os tipos de licenciamento ambiental
Próximo artigoO crescimento do marketing verde no Brasil e no mundo
Priscila Direste
Formada em Design de Interiores pelo SENAC/SP desde 2007. Após alguns anos projetando e administrando obras, resolvi que precisava ter uma experiência de vida diferente. Parti então para uma viagem de volta ao mundo com meu namorado, em que, durante um ano e meio percorremos os “Quintais do Mundo” (http://quintaisdomundo.com/). Uma experiência única que pude vivenciar diversas culturas, arquiteturas alternativas, conhecer pessoas e costumes. Atualmente, me preocupo mais com o meio ambiente e estudo meios para causar menos impacto no planeta. No meu trabalho, apresento e sugiro aos meus clientes várias opções de projetos sustentáveis das mais variadas formas.