Estudantes criam captador automático de água da chuva

663 Visualizações
flickr.com / Aires Almeida A falta de uma estratégia para captação, armazenamento e tratamento da água da chuva faz com que parte dela seja desperdiçada, ou nem mesmo aproveitada.

Todos os anos, muitas instituições apoiam ações que desenvolvem soluções criativas para grandes problemas mundiais. Uma dessas iniciativas é o concurso cultural “Call to Innovation”, promovido pela Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap), em parceira com a Singularity University (SU), instituição de ensino interdisciplinar sediada na NASA.

O tema escolhido para 2015 foi a crise global de água e o grande desafio do concurso é justamente criar uma alternativa inovadora e tecnológica para resolver o problema da falta de água, que afeta um bilhão de pessoas ao redor do planeta.

O concurso

O concurso é realizado desde 2009 e o “Call to Innovation” tem a proposta de melhorar a vida das pessoas por meio do uso da tecnologia.

Para participar, as pessoas precisavam inscrever seus projetos, o que ocorreu até 15 de março, e os seis mais votados participarão de uma banca avaliadora. Para conhecer todos os projetos, acesse o site do concurso.

Como prêmio, o criador da proposta vencedora ganhará uma bolsa de estudos na Singularity University e uma bolsa para os MBA’s da FIAP. Além disso, o projeto receberá o suporte de mentores e investidores para seu desenvolvimento.

“Nosso objetivo é incentivar e fortalecer o empreendedorismo social e ajudar a encontrar uma solução para este problema global. Toda a bagagem que o vencedor vai receber na SU será de grande utilidade para colocar em prática o projeto que busca resolver uma das piores crises de água que o Brasil já viveu”, comenta Nathalie Trutmann, diretora de Inovação da Fiap.

Projeto Cactus

Dentre os vários projetos que estão participando do concurso, um deles é o “Cactus”, um captador de água da chuva automático, que foi proposto pelos alunos do 4º ano do curso de Engenharia da Computação da Fiap.

Segundo os idealizadores, o equipamento será capaz de captar a água da chuva, tratá-la e deixá-la pronta para o consumo humano. O maior desafio deste projeto é fazer com que o ele seja universal, para poder ser instalado no telhados de qualquer lugar e tipo de moradia.

Depois de instalado no telhado da casa, todo o processo será automatizado, porque o equipamento possui um sensor que detectará quando a chuva começa, ativando o motor e fazendo com que a estrutura de captação se abra. O coletor irá subir e abrir as hastes que formarão um guarda-chuva invertido. Posteriormente, quando a chuva terminar, o mecanismo será recolhido, diminuindo, assim, a área de contato com a água.

Reprodução Vista superior do mecanismo de coleta sem o tecido das hastes. Protótipo feito na ferramenta SolidWorks.

A última etapa é a filtragem, cuja água captada escorrerá por um cano e será direcionada para um filtro no interior do “Cactus”, onde ela será tratada em diversas fases, para remoção de substâncias nocivas. Após esse processo, a água será levada para a caixa d’água da casa.

O diferencial do “Cactus” é o sistema de tratamento da água, que permite que ela possa ser utilizada tanto para banho, descarga, lavar roupa e louça, quanto para o próprio consumo, sendo, inclusive, potável.

A proposta é que o equipamento tenha tamanhos personalizados e, dependendo da necessidade, o imóvel poderá ter mais de uma instalação.

De acordo com os idealizadores, o dispositivo é capaz de captar 10 litros de água por dia na versão de 1m² ou 20 litros na versão de 2m². A capacidade aumentaria proporcionalmente de acordo com a versão do “Cactus”.

“A proposta do Cactus é aproveitar o máximo possível da água disponível nas chuvas, minimizando um dos maiores problemas enfrentados pelas pessoas nas últimas décadas: a falta da água”, afirma Pedro Garcia, aluno que está gerenciando o projeto.

Reprodução Protótipo impresso na impressora 3D. Na imagem da esquerda, a estrutura está recolhida e, na direta, aberta para a captação de água.

A votação

Os projetos inscritos no concurso “Call to Innovation” estão em votação aberta, que se encerra no dia 30 de março. Navegue pelo site e conheça melhor todas as propostas que integram o concurso. Vote naquelas que podem ajudar a resolver a crise de água no planeta. É possível votar em mais de um projeto. O resultado será divulgado em 14 de abril.