Como serão as embalagens do futuro?

607 views

Um em cada 3 consumidores prefere opções ecológicas e compraria um produto que é melhor para o meio ambiente em vez de outros produtos que podem ser um pouco mais baratos. Diversas empresas como a Amazon já estabelecem critérios e padrões de sustentabilidade e cobram multas aos parceiros quando eles não são cumpridos.

Então, o que exatamente o futuro reserva para este mercado?

O mercado de embalagens plásticas compostáveis ​​projeta uma taxa de crescimento anual de 6,4% até 2028. Em termos mais simples, significa que investir em embalagens sustentáveis ​​agora mostra benefícios promissores para marcas em todo o mundo. Ou seja, já é seguro dizer que as embalagens sustentáveis são a nova norma que substituirá as embalagens plásticas completamente no futuro não tão longe assim.

Indo além do menor uso de tintas à base de solvente para impressão e refletindo esse compromisso com o meio ambiente, os fornecedores de embalagens já tendem a minimizar o desperdício e maximizar o uso de materiais reciclados, concentrando-se em unidades que reduzem a pegada de carbono e a energia necessária para fabricação e transporte.

Embora estejamos mais do que acostumados com as caixas de papelão, sacolas e garrafas, o futuro pode estar remodelando esses clássicos. Isto porque, com as crescentes demandas dos consumidores, surge uma necessidade crescente de conveniência, que exige atualizações inovadoras e avanços tecnológicos que abram novas portas de oportunidades para os negócios.

Embalagem Dissolvível

A embalagem comestível é uma alternativa interessante e inovadora que alivia a dependência de combustíveis fósseis e tem o potencial de diminuir significativamente nossa pegada de carbono, que é exatamente o que os consumidores procuram cada vez mais.

O uso de matérias-primas extraídas de algas, adoçantes e corantes naturais a partir de cascas de frutas e vegetais mostra um grande potencial para oferecer à indústria alimentícia uma variedade de opções no que diz respeito a cores, designs e muito mais. Além disso, oferece aos clientes uma experiência estimulante que vai além da embalagem, até porque eles também a estarão consumindo! Esta forma inovadora pode diminuir o descarte de plástico e se tornar uma norma mais cedo do que pensamos!

A redução do desperdício não se limita à indústria de alimentos e bebidas, mas também aos utensílios domésticos. Países desenvolvidos já utilizam embalagens solúveis em água para lava-louças e detergentes para a roupa, por exemplo. Itens como sacolas, embalagens take away e talheres feitos com amido de milho estão ganhando cada vez mais atenção em diversos setores, principalmente em fast food, na indústria de varejo, de alimentos e de bebidas. Do ponto de vista do cliente, isso parecerá uma opção atraente devido ao crescimento do consumidor ecologicamente consciente.

Embalagem que economiza espaço

Pacotes maiores ocupam mais espaço em aviões, barcos e caminhões. Quanto mais deslocamentos são necessários para transportar toda a carga de embalagens, maior é a quantidade de carbono jogada no ambiente. Por isso, armazenar e transportar grandes quantidades de embalagens é visto como menos ecológico.

A nanotecnologia também será usada na redução do desperdício de embalagens e na sustentabilidade, com biocompostos com potencial de substituir o plástico não biodegradável à base de petróleo. Nos próximos anos, nanomateriais com propriedades protetoras serão usados ​​em embalagens higiênicas e antibacterianas, especialmente para produtos médicos, farmacêuticos e alimentícios. Com a passagem de um cartão ou a leitura de um dispositivo inteligente, por exemplo, a embalagem pode fornecer rastreamento avançado, monitoramento ativo e até proteção a roubo.

Impressão 3D

A impressão 3D permitirá que a indústria de embalagens fabrique por um preço muito mais baixo. Através da integração de instalações de fabricação e armazenamento, os custos de envio para o exterior, bem como as emissões de CO2, serão reduzidos significativamente.

À medida que a qualidade, a velocidade e as opções de materiais de impressão tenderão a aumentar nos próximos dez anos, a impressão 3D terá um impacto maior do que o previsto na indústria de embalagens. Isso provavelmente levará a espaços menores e mais inteligentes que utilizam impressão em grande escala para produtos e embalagens, juntamente com elementos de armazém inteligentes, com automação de processos robóticos e conectividade da Internet das coisas (IoT).

Embora tenhamos percorrido um longo caminho na impressão 3D, ela está apenas dando os primeiros passos ainda. Em breve, veremos uma mudança da produção especializada limitada, que é o temos atualmente, para a impressão escalonável para todos os tipos de indústrias.

Nos próximos anos, os processos de manufatura aditiva oferecerão soluções personalizadas de embalagens sob demanda, limitadas apenas pela imaginação. Consumidores e empresas de produtos de consumo finalmente começarão a escolher materiais que sejam verdadeiramente sustentáveis ​​com base no conteúdo do material e no conteúdo reciclado. O futuro – pelo menos o das embalagens –