Cidade indiana usa plástico descartado para fabricar rodovias

380 Visualizações
Fonte: India Times A Companhia já construiu 15 km de estradas na cidade e ampliou outras 22 utilizando a nova técnica.

O descarte irregular de resíduos é considerado um problema em todo o mundo. Além disso, alguns materiais, como o plástico, tendem a ser mais preocupantes do que outros, já que demora mais tempo para se decompor e é responsável pela poluição de grande parte de centros urbanos e lagos.

Em Jamshedpur, no entanto, isso parece não ser mais um problema. Lá, a Jamshedpur Utility and Services Company (JUSCO), empresa subsidiária da Tata Steel, descobriu uma maneira de utilizar o plástico descartado na criação de novas rodovias.

De pacotes de biscoitos a sacos de polietileno, a Companhia já construiu 15 km de estradas na cidade e ampliou outras 22 utilizando a nova técnica, que usa os mesmos princípios da tecnologia de fabricação do betume – líquido pegajoso, preto e altamente viscoso –, também conhecido como asfalto.

Segundo os cientistas que desenvolveram a metodologia, não há custos de manutenção para os primeiros cinco anos e a resistência da técnica é duas vezes melhor que a comum, já que é resistente à água e pode suportar altas temperaturas e cargas mais elevadas. Dessa forma, há uma economia.

Fonte: India Times Além de ecológica, a nova técnica é mais barata.

Além disso, estima-se que para cada quilômetro que utiliza o plástico como matéria-prima principal, uma tonelada de betume é eliminada. O seu uso, inclusive, reduziu em 7% desde que a JUSCO iniciou os procedimentos.

A iniciativa rendeu à companhia diversos pedidos para levar a técnica para outros estados da Índia. O problema é que não há planos de comercialização, já que a ideia é somente contribuir para o desenvolvimento sustentável da comunidade do entorno.

Outros projetos indianos

Em outra região do país, a Asian School of Business tornou-se a primeira faculdade da Índia ecologicamente correta, com a criação de uma grande lagoa de captação de água da chuva. O projeto atende a demanda da Universidade e, ainda, beneficia a comunidade do entorno.

Outra iniciativa inédita da Instituição é um programa de arborização urbana que prevê a plantação de novas árvores em um sistema em que a floresta cresce 10 vezes mais rápido do que as árvores plantadas convencionalmente.