Quanto tempo leva para nossos resíduos se decomporem?

154 views

A natureza não pode fazer tudo sozinha

Se há uma coisa que sabemos com certeza, é que reciclar pode ser confuso por natureza. Junta-se a isso a falta de educação sobre o tema e pronto, temos, como resultado, indivíduos enviando a maior parte de seus resíduos para aterros sanitários, em vez de dedicar tempo para entender o que pode ser separado para reutilização ou reciclagem.

Talvez seja mais fácil jogar tudo no lixo quando não se tem o conhecimento acerca de quanto tempo determinado material leva para se decompor, mas estamos aqui exatamente para isso: esclarecer o que realmente acontece quando você joga algo fora, porque, infelizmente, esse comportamento tem consequências que já afetam o nosso meio ambiente.

Sapatos de couro – decompõe-se em 40 anos

Estima-se que 300 milhões de pares de sapatos são jogados fora todos os anos. Sapatos de couro são especificamente problemáticos em aterros sanitários por causa dos produtos químicos prejudiciais usados ​​durante o processo de curtimento.

Baterias – decompõe-se em 100 anos

As baterias quebram muito lentamente e, à medida que se decompõem, produtos químicos nocivos e toxinas são liberados em nosso solo e na água. Elas devem ser coletadas separadamente do lixo padrão e da reciclagem. Veja mais aqui.

Latas de alumínio podem ser recicladas e estar de volta às prateleiras em apenas 6 semanas, mas levam cerca de 250 anos para se decompor. Ao contrário de muitos outros materiais, o alumínio pode ser reciclado um número ilimitado de vezes, tornando-o um dos recicláveis ​​mais reaproveitados.

Garrafas plásticas – decompõe-se em 450 anos

Estima-se que mais de 80% de todas as garrafas de água descartáveis ​​se tornem lixo. Assim, cerca de 2 milhões de toneladas delas estão em aterros.

Fraldas descartáveis – decompõe-se em 450 anos

Cerca de 20 bilhões de fraldas descartáveis ​​são enviadas para aterros sanitários todos os anos e não se decompõem muito bem. Considerando que um bebê usa até 10.000 delas, não fica difícil de entender o porquê esse é um dos itens de consumo mais comuns encontrados em aterros, representando 30% de todos os resíduos não biodegradáveis. A cada ano, 27,4 bilhões de fraldas descartáveis acabam por lá.

Vidro – decompõem-se em, pelo menos, 1.000 anos

O vidro é um dos produtos mais naturais do planeta e facilmente reciclável, pois é feito de areia e derretê-lo é um processo simples. No entanto, por ser muito resistente (tanto que relíquias dos primeiros dias da fabricação de vidro em 2000 a.C. ainda existem no Egito), pode levar de mil a 1 milhão de anos para se decompor se jogado em aterros sanitários (e, mesmo assim, ele não decompõe completamente, mas se quebra em pedaços menores).

Isopor – nunca se decompõe

O isopor tem 95% de ar e peso leve, o que o torna ideal para embalagens descartáveis, mas é muito difícil de reciclar. Como resultado, ele permanece para sempre em aterros. Só os americanos jogam fora 25 bilhões de xícaras de café de isopor a cada ano – o suficiente para dar a volta à Terra 436 vezes.

Produtos de papel: por serem produzidos naturalmente, os produtos de papel são até bem ecológicos no que diz respeito à rapidez com que se decompõem. O papel leva de quatro a seis semanas para se decompor sozinho. O problema aqui é o volume e a quantidade. Mesmo sendo um dos materiais mais reciclados, os resíduos de papel ocupam mais espaço em aterros sanitários do que qualquer outro.

Desperdício de alimentos: você acha que os resíduos de alimentos podem se decompor facilmente em um aterro, só porque são naturais, certo? Errado e muito! O tempo que leva para os resíduos alimentares se decomporem depende do tipo deles. Normalmente, um caroço de maçã ou uma casca de banana leva cerca de um mês para se decompor, mas uma casca de laranja leva seis meses. Se você sente que nada de ruim pode vir de um pedaço de alface, ledo engano outra vez: uma única folhinha pode levar pelo menos 25 anos para se decompor em um aterro sanitário.

Além da decomposição de resíduos alimentares, é um fato que os alimentos em aterros se decompõem sem oxigênio, criando metano, um gás 23% mais forte do que os gases do efeito estufa, como o dióxido de carbono. Embora parte desse metano seja convertido em energia, uma grande parte vai para a atmosfera, contribuindo para a mudança climática.

Reduzir resíduos é “O” grande passo!

Como vimos, a natureza não tem como dar conta de tudo sozinha. Nós precisamos fazer a nossa parte, que é reduzir a quantidade de lixo que jogamos fora todos os dias. A melhor maneira é consumir menos. E isso é possível evitando o desperdício, reutilizando o tanto possível e deixando de comprar aquilo que não se precisa. Dessa forma, menos resíduos são produzidos e, portanto, menos lixo vai parar nos aterros, deixando para as próximas gerações uma conta ambiental menos cara e difícil de se pagar.

Fonte: Daily Sabah | Roadrunnerwm | Stacker