Destinação correta do lixo hospitalar

1.111 Visualizações
Descarte de lixo hospitalar
Foto: hospitalregionalvc

Diferentes tipos de resíduos possuem formas específicas de descarte. No caso do lixo hospitalar, a destinação irregular dos dejetos representa um grande perigo, tanto para a saúde das pessoas quanto para o meio ambiente. Por este motivo, a eliminação destes materiais exige cuidados especiais e seguem normas rigorosas determinadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Das 149 mil toneladas de resíduos urbanos gerados no país por dia, estima-se que 1% a 3% são resíduos dos serviços de saúde (RSS). Agulhas, bolsas de sangue, seringas, curativos, medicamentos a até mesmo materiais radioativos estão entre os principais resíduos descartados por unidades de saúde, necrotérios, consultórios e clínicas veterinárias.

De acordo com as normas da Anvisa – dispostas na Resolução n° 306 de dezembro de 2004 – a separação, o tratamento, acondicionamento e transporte dos resíduos são de responsabilidade dos estabelecimentos. O manejo depende do tipo de lixo, classificado em cinco grupos:

Grupo A (potencialmente infectantes): nos quais é detectada a presença de agentes biológicos com risco de infecção, como bolsas de sangue contaminado.

Grupo B (químicos): neste tipo são encontradas substâncias químicas que causam riscos à saúde e ao meio ambiente, como medicamentos, reagentes, entre outros.

Grupo C (rejeitos radioativos): materiais que contenham radioatividade em carga acima do padrão.

Grupo D (resíduos comuns): resíduos que não estão contaminados, como gesso, luvas e outros materiais recicláveis.

Grupo E (perfurocortantes): objetos e instrumentos que possam furar ou cortar, como lâminas, bisturis, agulhas e ampolas de vidro.

Lixo hospitalar.
Foto: g1

O descarte, portanto, ocorre de acordo com o grau de risco dos materiais. Resíduos sólidos dos grupos A e C, os mais perigosos, devem ser acondicionados em sacos plásticos grossos, branco leitoso, resistentes e com a identificação apropriada para indicar a presença de substâncias infectantes e radioativas. Já os itens perfurocortantes são armazenados em recipientes rígidos e vedados. A eliminação destes dejetos é feita através de incineração.

No caso dos plásticos, metais, papel, papelão, vidros e outros materiais recicláveis, deve ser feito o encaminhamento para o processo padrão de reciclagem.