Lixo de turistas ameaça o futuro de Machu Picchu

201 views

A região histórica vem adotando uma série de medidas de preservação ambiental para que não deixe de ser um Patrimônio Mundial da UNESCO.

A cidade de Machu Picchu, símbolo do império Inca e Patrimônio Mundial da UNESCO, está passando por uma crise ocasionada pelo excesso de lixo, relatou uma reportagem feita pela rede de TV Al Jazira.

Os turistas que passam por esta cidade pré-colombiana, que fica a 2400 metros de altitude, deixam para trás mais de cinco toneladas de lixo reciclável todos os dias. O problema é tão grave que há dois anos a UNESCO ameaçou retirar de Machu Picchu o status de Patrimônio Mundial.

Os resíduos encontrados em Machu Picchu são trazidos pelos turistas e quase sempre têm como destino o rio local, trazendo prejuízos para a fauna e flora da região. Estima-se que 1,6 milhão de pessoas de todo o mundo visitem o local a cada ano, ainda que as autoridades peruanas restrinjam o acesso.

Para tentar reverter esta situação, os governantes e a comunidade estão tentando transformar a cidade histórica na primeira área ecológica do país.

Crise do lixo

Não só Machu Picchu, mas toda a região vem sofrendo com o excesso de lixo, principalmente o vilarejo de “Aguas Calientes”, que é a porta de entrada para a cidade histórica.

Quando chegam neste local, geralmente os turistas abandonam os seus resíduos, causando um grande problema para os moradores. As autoridades estão tentando gerenciar o lixo de maneira eficaz, mas a maior dificuldade que encontram é com o transporte, uma vez que não existem estradas que possam facilitar o acesso, apenas ferrovias. Além disso, há uma lei de planejamento municipal que proíbe a construção de uma usina de reciclagem em larga escala, por isso, eles conseguem apenas separar os resíduos.

As garrafas plásticas deixadas pelos visitantes são coletadas, compactadas e agrupadas em fardos, facilitando o envio para as recicladoras.

Além do plástico, os hotéis e restaurantes locais também estão separando o óleo de cozinha utilizado no preparo das refeições, que é transformado em biodiesel para ser utilizado pelos agricultores da região. Antes desta iniciativa o óleo tinha como destino os rios.

De acordo com a reportagem da TV Al Jazeera, as autoridades municipais estão pedindo aos turistas que levem as suas próprias garrafas de água reutilizáveis, para evitar a geração de resíduos em Machu Picchu. Como forma de incentivar esta prática, estações de distribuição de água estão sendo instaladas no entorno das principais cidades turísticas da região.

Se Machu Picchu e os vilarejos vizinhos continuarem neste ritmo, certamente a cidade não perderá o status de Patrimônio Mundial da UNESCO e continuará sendo um importante destino para quem se interessa por história e arquitetura.