Carnaval e sustentabilidade

39 views

Confira o que algumas cidades vêm fazendo para tornar esta festa mais sustentável

O Carnaval é uma das festas mais populares do mundo e, nos últimos anos, muitos foliões vêm demonstrando uma preocupação em festejar de forma responsável e sustentável. Tanto que a procura por confete e glitter ecológicos, por exemplo, vem aumentando a cada Carnaval.

Algumas escolas de samba também entraram nesse clima, e um dos exemplos mais claros de sustentabilidade na avenida vem da escola de samba paulistana, Rosas de Ouro.

A escola se uniu à Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil para levar uma inovação tecnológica ao Sambódromo de São Paulo. Algumas fantasias contarão com um chip que, além de monitorar a evolução da escola na avenida, também acompanhará a devolução das fantasias de duas alas: a das Baianas e a do “Código para o Futuro”. O chip servirá para saber quais roupas foram devolvidas, para que tenham o destino correto e o reaproveitamento do material para outras finalidades, gerando menos lixo e destinando corretamente o que não puder ser reaproveitado.

Bloco sustentável

Outro exemplo de sustentabilidade vem de um dos blocos de rua do Carnaval do Rio de Janeiro, o Quizomba. O bloco do Circo Voador, que desfila pela Lapa, terá como tema principal deste ano a sustentabilidade.

O Quizomba sairá às ruas no dia 29 de fevereiro, com a cantora Roberta de Sá à frente do cortejo e eles prometem não vai deixar passar em branco a questão da água contaminada no Rio. Com uma paródia da marchinha ”Cachaça Não é Água”, o bloco faz uma crítica à atual situação carioca, dizendo em um dos trechos: “Se a Cedae tratasse a nossa água, a água não matava não / Quem bebe água hoje é chique, para o povo é água de valão”.

Crédito: Foto: Divulgação/Sergio Bernardo/PCR

Tecnologia e reciclagem

O Galo da Madrugada, uma das maiores alegorias carnavalescas do mundo, mostra que também se preocupa com o planeta.

Com 28 metros de altura e pesando sete toneladas, a criação do artista plástico Leopoldo Nóbrega contará com reaproveitamento de recicláveis, iluminação e efeitos digitais.

Batizado de “Galo Circense de olho no futuro”, o símbolo do Carnaval de Recife está previsto para sair nesta madrugada da Ponte Duarte Coelho, quando ocorre a abertura oficial do Carnaval do Recife.

Este ano, 70% da alegoria foi produzida com material reciclado, incluindo cerca de mil discos de vinil – resíduos da indústria fonográfica de Pernambuco – que serão usados como mega lantejoulas para enfeitar as vestes da ave gigante.

E se você vai brincar o Carnaval pelas ruas, não se esqueça de que você é responsável pelo seu lixo. Não jogue latas, garrafas ou qualquer adereço nas ruas. Tudo isso, quando descartado inadequadamente, vai parar nos bueiros, causando enormes prejuízos para todos. Por isso, consciência sempre em primeiro lugar!