Os riscos provocados pela utilização do amianto

1.866 Visualizações
Amianto
Amianto. Foto: brasilescola

Quando se diz respeito às coberturas com telhas de fibrocimento, estas estão entre as mais utilizadas e isto se deve, principalmente, ao baixo custo deste material. As fibras de amianto podem ser encontradas em vários locais, principalmente em coberturas que têm a função de garantir proteção contra a chuva, ventos e insolação de casas, escolas, fábricas, comércios, escritórios, lojas, entre outras.

O amianto, ou asbesto, é uma fibra mineral, natural, sedosa abundante na natureza sob a forma de serpentinas (amianto branco) e anfibólios (amianto marrom, azul e outros), sendo que a serpentina corresponde a mais de 95% de todas as manifestações geológicas no planeta. Por ser um produto de baixo custo, é largamente utilizada na indústria.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, todas as formas de amianto são perigosas para a saúde quando as fibras de dimensão respirável são inaladas.

O perigo dos produtos que contêm amianto encontra-se dependente da respectiva capacidade de libertar fibras. Se as fibras de amianto estiverem fortemente ligadas à outra substância (como é o caso do fibrocimento) e não se libertarem, não representam grande perigo, mas é importante lembrar que os produtos à base de amianto sofrem desgaste com o tempo e podem liberar partículas do mineral.

Infelizmente, a maioria das doenças, quando contraídas, não tem cura, porque o amianto não pode ser destruído por nenhum agente (calor, microrganismos e bactérias, ácidos, etc.), quando ele penetra no corpo humano pela respiração ou ingestão, não é eliminado pelos nossos anticorpos, aloja-se em órgãos como pulmão e em tecidos como pleura e peritônio, que revestem o pulmão e abdômen, respectivamente.

Algumas das doenças podem matar em curto prazo e outras lentamente, por asfixia. As fibras de amianto causam doenças como asbestose, mesotelioma, placas pleurais e câncer de faringe e do aparelho digestivo. Nem todas têm o mesmo grau de periculosidade, o risco de aparecimento da doença depende do tipo da fibra, das suas dimensões, da concentração e do tempo de exposição. Não são somente os trabalhadores que manipulam o amianto que adquirem estas doenças, elas também atingem indiscriminadamente quem lava as roupas dos trabalhadores, os filhos que são abraçados pelos pais com as roupas de trabalho, aqueles que moram próximos a estas fábricas e o consumidor que adquire produtos à base deste material.

Telha de amianto
Telha de amianto. Foto: ecycle

Não há como se proteger desse risco. A melhor forma e mais fácil é substituir os produtos, por isso existem empresas que investem em tecnologias para retirar o amianto da composição de seus produtos e introduz um fio de reforço de fibras sintéticas, conhecidas por fios sintéticos de Polivinila Álcool (PVA), dando origem ao CRFS (Cimento Reforçado com Fios Sintéticos). O foco é tornar essa tecnologia viável, trazendo objetivos maiores como: o atendimento à legislação vigente; produtos equivalentes ou de desempenho superior ao cimento-amianto; atendimento à expectativa do mercado; e disponibilidade de matérias-primas.

Mas é importante reforçar que as doenças que podem ser provocadas pelo amianto são o resultado de um contato prolongado com níveis elevados das suas fibras. Estas doenças praticamente só atingem pessoas que estão ou estiveram expostas a níveis elevados de amianto durante um longo período de tempo. Para as outras pessoas os riscos são extremamente baixos.