A relação entre as mudanças climáticas e os furacões no Brasil

2.905 views
Ciclone Catarina
Foto: derradeirasgracas

O excesso de poluição e emissão de gases por indústrias e veículos, e a consequente redução das florestas em todo o mundo vem causando um superaquecimento da atmosfera terrestre. Além do calor excessivo e as temperaturas desreguladas durante as estações do ano, este fato causa transtornos irreversíveis para o nosso planeta.

Fenômenos que nunca ocorreram no Brasil, como tremores de terra e furações vêm assustando moradores de diversas regiões. Pesquisadores afirmam que se a temperatura do planeta aumentasse seis graus, populações inteiras seriam extintas e muitos países deixariam de existir, além de rachaduras na extensão do globo, que causariam dilúvios destruidores.

O furacão se forma a partir da evaporação de água para a atmosfera, em regiões com oceanos de águas quentes, formando ventos que ultrapassam 200 km/h. Muito se houve falar de furações e tornados em diversas regiões do planeta e as mudanças climáticas no Brasil vem acarretando tais fenômenos também em nosso país.

Em 2004 todos se assustaram com a passagem do furacão Catarina que atingiu o litoral sul do Brasil. Até então, era considerado impossível esses fenômenos acontecerem na região do Atlântico Sul de acordo com informações de satélites meteorológicos que orbitam a terra há mais de 40 anos. Mas pesquisadores afirmam que na época, a temperatura do oceano estava elevada.

A surpresa diante do ocorrido foi tão grande que nem mesmo a World Meteorological Organization (WMO), organização que monitora estes eventos, conseguiu prever, pois eles não tinham como medir os ventos e as chuvas das tempestades tropicais que nunca tinha acontecido aqui. Por conta disso, foram os próprios meteorologistas brasileiros que deram o nome de Catarina ao furacão.

Os cientistas afirmam que os furacões no Brasil são alertas para que as pessoas se atentem às mudanças climáticas que vêm ocorrendo em todo o mundo. Os países em que os fenômenos climáticos são constantes, já haviam se atentado para os riscos do aquecimento global, mas os brasileiros ainda achavam que os fenômenos estavam muito longe de acontecer por aqui.

Consequências do Ciclone Catarina
Foto: portoalegretche

O Catarina, que devastou mais de 500 casas, destruiu portos e deixou mais de 1500 pessoas desalojadas, veio como alerta para que os brasileiros começassem a agir para combater o efeito estufa, igualmente os demais países comumente afetados.

Fenômenos naturais catastróficos continuaram a ocorrer, como chuvas torrenciais, escassez de água em outras regiões e desmoronamentos. Algumas ações emergenciais precisam ser implantadas com certa urgência, como um controle meteorológico eficiente, planejamento na construção de casas e indústrias, planos de evacuação e logística. Tudo para prevenir no caso de novos furacões, tornados e desastres naturais ocorrerem.