Programa ensina aos jovens como investir em carreira sustentável

328 Visualizações
Jovens
Foto: Divulgação

Uma das maiores preocupações do estudante é decidir qual área profissional seguir após completar os estudos do ensino médio. Dentre profissões do mercado, existe uma que está mais em evidência e ainda estuda estratégias de redução de impactos ambientais, consciência ecologia e qualidade de vida. A famosa carreira sustentável tem sido a escolha de muitos jovens brasileiros, entre 14 e 21 anos, moradores de regiões periféricas e vinculados a um projeto social capaz de ensiná-los como gerenciar a demanda de resíduos sólidos de um bairro, técnicas de plantio de mudas, dentre outras práticas ligadas aos conceitos de sustentabilidade.

O Programa de Jovens Meio Ambiente e Integração Social (PJ-MAIS) gerenciado pela Associação Holística de Participação Comunitária e Ecológica e Instituto Florestal de São Paulo, é também considerado como parte da Reserva da Biosfera (centro de pesquisas ambientais oficiais) e atua em vários municípios do estado, dentre eles Cajamar, Paraibuna e Parelheiros, com oficinas educativas as quais preparam esses jovens para ingressar nas vagas de mercado ligadas à gestão ambiental.

“O projeto vem mudar essa perspectiva. Criamos um espaço de capacitação ecoprofissional de atividades que respondam às suas vocações, e permitam a melhora da qualidade de vida deles e suas comunidades”, Giovanni Bianco, gestor do Programa de Jovens Meio Ambiente e Integração Social.”

Organizado por monitores ambientais, pesquisadores e gestores de projetos socioambientais, o Turismo Irmanado, um dos projetos realizados em outubro, contou com a participação desses profissionais que acompanharam 60 jovens dos Núcleos de Educação de Paraibuna, Paranapiacaba e Cajamar até o Núcleo de Parelheiros (SP) para conhecer de perto os trabalhos dos colegas em sistemas agroflorestais (tecnologias agrícolas e de reflorestamento), de captação e aquecimento de água da chuva, compostagem de resíduos, produção de mudas, permacultura entre outras tecnologias.

Turismo Irmanado
Foto: Divulgação

De acordo com Giovanni Bianco, gestor do programa, o jovem – público atendido pelo PJ MAIS –, especialmente o que habita áreas periféricas e pobres, sofre diretamente o impacto dos problemas sociais. São questões como exclusão, violência, drogas, falta de acesso a oportunidades educacionais e culturais de qualidade, o que reduz suas perspectivas e acaba dificultando sua inclusão no mercado de trabalho. “O projeto vem mudar essa perspectiva. Criamos um espaço de capacitação ecoprofissional de atividades que respondam às suas vocações, e permitam a melhora da qualidade de vida deles e suas comunidades”, comenta Bianco.

A próxima edição do turismo sustentável ocorre em novembro de 2014, mas ainda é possível conferir os outros projetos da Associação que acontecem ao decorrer do ano. Para mais informações sobre como participar dessas atividades acesse a página do projeto.