Demanda por água terá aumento de 55% em 2050, prevê ONU

374 views
Água
Foto: © Depositphotos.com / SSilver

Produzido pela ONU-Água, o Relatório das Nações Unidas de Desenvolvimento dos Recursos Hídricos de 2014 (United Nations World Water Development Report 2014 – WWDR), destacou a interdependência dos setores de água e energia. “É claro que as decisões tomadas por um domínio pode ter significativos impactos no outro”, garante o Michael Jarrud, secretário-geral da Organização Meteorológica Global e membro da ONU-Água.

“Água e energia são inextricavelmente ligadas. Água é essencial para a produção, distribuição e uso de energia. Energia é crucial para a extração e distribuição de água potável”, acentua Ban Ki-moon, secretário-geral da Organização das Nações Unidas. Tratando especificamente destes temas, o volume inicial do documento, que terá quatro partes, estima que 768 milhões de pessoas em todo o mundo não têm acesso a fontes de água tratada, 2,5 bilhões não recebem saneamento básico e 1,3 bilhão não estão conectadas a linhas de eletricidade.

Desta forma, segundo Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), “o direito fundamental de consumir água fresca não é exercido por aproximadamente 3,5 bilhões de mulheres e homens”, que também carecem de fontes de energia elétrica. “Assegurar o acesso à água limpa e energia a todos, especialmente aos pobres e menos favorecidos, é o principal desafio”, afirma Bokova

Lançado no dia 21 de março, durante as celebrações do Dia Mundial da Água, comemorado em 22/03, o WWDR procura sensibilizar os tomadores de decisões em escala global, tendo em vista os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável pós-2015, que deverão incluir a expansão do alcance dos serviços de água e energia. “Eu acredito que as mensagens presentes no Relatório irão informar as discussões e ajudar a comunidade internacional a submeter a pobreza à erradicação após 2015”, estima Jarraud.

Hidrelétrica
Foto: pacgov

Salientando interdependência entre as áreas, o estudo atribuiu à produção de energia elétrica cerca de 75% de todo o consumo industrial de água. Além disso, o cenário tende a piorar ainda mais, pois, em 2050, a demanda por água aumentará nas fábricas (400%), usinas termoelétricas (140%) e no uso doméstico (130%), resultando numa elevação de 55% dos gastos gerais H2O. Sendo assim, futuramente, 40% da população mundial habitará regiões assoladas pelo estresse hídrico (situação na qual a procura por água supera o volume resguardado).

Contudo, em curto prazo, o Relatório das Nações Unidas de Desenvolvimento dos Recursos Hídricos, da ONU-Água, prevê que a sociedade mundial precisará de 35% a mais de alimento, 40% a mais de água e 50% a mais de energia em 2030.