Conheça as melhores mães do reino animal e Feliz Dia das Mães!

2.133 Visualizações

Ser mãe é, segundo a maioria delas, a experiência mais marcante de suas vidas. Mesmo aquelas que vivem a maternidade outras vezes afirmam que todas são igualmente emocionantes.

Ser mãe vai muito além do momento da gestação, que já é bem trabalhoso. Tem a ver com deixar a sua semente, mudar totalmente de vida, com amor, altruísmo, proteção, doação, mudança de prioridades, de aparência e muitas outras qualidades que nenhum outro ser parece desempenhar tão bem. Qualidades estas presentes na espécie humana e em muitas espécies de animais também.

E para celebrar o dia delas, selecionamos lindos exemplos de mamães dedicadas do reino animal. Confira:

Polvo

A mamãe da espécie polvo-gigante-do-pacífico só pode experimentar a maternidade uma vez. Isso acontece porque durante os seis meses em que seus 100 mil ovos estão se preparando para eclodir, ela precisa ficar dentro da toca acariciando-os a todo o momento para que algas não cresçam e a água não pare de circular.

Nesse período ela não pode sair para se alimentar e fica muito fraca. Então, quando seus filhotes nascem, a mãe usa seu último fôlego de vida para lançar água sobre os pequenos, mostrando o caminho que devem seguir para sobreviver e dar continuidade a espécie.

calacademy Polvo-gigante-do-pacífico.

Aranha

Muitas espécies de mamães aranhas podem dar exemplos valiosos de prioridade total aos filhotes, sacrificando até mesmo seu parceiro. Entre tantas, destacamos a aranha da espécie Stegodyphus. Priorizando o crescimento de sua prole, a mãe deixa de reter para si mesma os alimentos que come, ela somente faz uma primeira digestão e os devolve em forma de sopa para os filhotes que ainda são muito novos. Passado um curto espaço de tempo eles estão mais maduros e necessitam de uma alimentação diferenciada, é ai que em um ato de altruísmo, a mãe se deixa devorar, assegurando os nutrientes que seus filhos precisam para se desenvolver.

77786465@N00 Aranha.

Elefante

As mamães elefantes tem a paciência equivalente ao seu tamanho. Sua gestação é a mais longa entre todos os mamíferos, com duração de 22 meses, quase 2 anos. Outras provas de seu amor e paciência são o difícil parto a que são submetidas, precisam da ajuda de outras fêmeas para dar a luz a um filho de quase 90 kg; e o fato de amamentar seu filhote faminto por 3 anos inteiros.

paraquenoseolvide Elefante.

Ursa-Polar

A mamãe urso-polar é um modelo sobre mudança de prioridades e aparência. Para conseguir gerar no máximo três filhotes por vez, ela precisa se preparar e engordar até 200 kg entre o período de reprodução e nascimento. Tudo isso porque ao nascerem, os filhotes são tão indefesos quanto os humanos, necessitam de cuidado integral e leite durante oito meses, nesse período a mãe não se ausenta nem para sua própria alimentação e precisa estar forte para nutrir seus filhos.

© Depositphotos.com / SURZet Urso polar.

Piolho do Mar

Outro grande exemplo, talvez o maior, é o sacrifício da mamãe piolho do mar. Em favor da natureza, para toda fêmea desta espécie ser mãe é, inevitavelmente, o mesmo que morrer. O triste fato acontece no momento do nascimento dos filhotes, quando chega a hora a mãe não tem outra opção, seus filhos só conseguem nascer comendo-a de dentro para fora.

undy-bumgrope Piolho do mar.

Orcas

Mais um exemplo da perseverança e paciência maternal é o das mamães orcas. Assim como as mães humanas, após o nascimento de seu filhote, a baleia orca começa a enfrentar dificuldade para dormir, porém, em um grau mais elevado.

É cientificamente provado que os filhotes de orca passam o primeiro mês de vida acordados 24 horas por dia. Isso significa que as mães também ficam, pois os acompanham a todo o momento e só podem voltar a dormir após esse período.

auntie_rain Baleia Orca.