Conheça a fauna e flora do pantanal

36.889 Visualizações

O pantanal é uma das regiões mais importantes do Brasil nas áreas turísticas e ambientais. O Complexo do Pantanal é um bioma considerado um Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Bioesfera pela UNESCO, e compreende uma área de 250 mil km2 de extensão nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além de algumas áreas ao norte do Paraguai e leste da Bolívia.

Além da paisagem incrível e formatos naturais únicos, o que chama muita atenção no pantanal são os animais e a vegetação típica. Toda essa biodiversidade tem sido explorada pelo ecoturismo.

Fauna

Onça pintada
Onça pintada. Foto: mahinfluencia

Símbolos máximos da fauna pantaneira, a onça-pintada, que chega a pesar até 150 kg, pode ser vista no Parque Nacional do Pantanal, assim como a arara-azul-grande, animal que recebeu destaque na sétima arte com a animação “Rio”. Ambos os animais estão em perigo de extinção pela ação do homem. Excepcionalmente lindos e exclusivos da área pantaneira, eles figuram entre os mais procurados pelos turistas.

Outro grande destaque da região são os tuiuiús, aves de beira-rio com longos bicos e pernas. Essa ave é símbolo do Pantanal e está sendo utilizada em artes visuais da Copa do Mundo 2014 da FIFA. O tamanduá, lobo-guará, bicho-preguiça, ariranha, tucanos, periquitos, beija-flores, papagaios, emas, jacarés, piranhas, pacus, pintados e dourados são outros animais bastante famosos na região.

Flora

A flora que forma o habitat das 650 espécies de aves, 1100 borboletas, 80 mamíferos, 263 peixes e uma infinidade de répteis também não deixa a desejar. É casualmente definida como um mosaico de cinco regiões distintas: Floresta Amazônica, Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica e Chaco (paraguaio,argentino e boliviano).

Em altitudes maiores, o clima árido e seco torna a paisagem parecida com a da caatinga, apresentando espécies típicas como o mandacaru, plantas aquáticas, piúvas (da família dos ipês com flores róseas e amarelas), palmeiras, orquídeas, figueiras e aroeiras. Já em altitudes menores figuram os campos destinados à agropecuária onde predominam as gramíneas.

Piuva - Árvore
Piuva. Foto: projetobiomas

É uma área que sofre grande incidência de cheias e secas. Durante a seca os campos se tornam amarelados e constantemente a temperatura desce a níveis abaixo de 0 °C, e registra geadas. A camada de lodo nutritivo que fica no solo após as cheias permite o desenvolvimento de uma rica flora. Em áreas em que as inundações dominam, mas ficam secas durante o inverno, aparecem vegetações como a palmeira carandá e o paratudal.

A vegetação aquática é bem característica com a presença de batume, plantas flutuantes como o aguapé e a salvínia. Essas plantas são carregadas pelas águas dos rios e juntas formam verdadeiras ilhas verdes, que na região recebem o nome de camalotes. Há ainda no Pantanal áreas com mata densa e sombria. A palmeira acuri forma uma floresta de galerias com outras árvores, como o pau-de-novato, a embaúba, o jenipapo e as figueiras, além da presença de árvores como o angico, ipê e aroeira.

A área sofre ameaça da grande produção pecuária, muito favorecida pela abundância de água levemente salgada (ideal para criação de gado) e pelo espaço quase sempre plano com uma altitude média de 100 m apenas. Além da criação bovina, a mineração e a indústria siderúrgica em Corumbá têm levantado controvérsias em assuntos ambientais.