Confira 6 lindos exemplos de fenômenos naturais que você talvez não conheça

2.445 Visualizações

Raros, surpreendentes e por vezes intrigantes, os fenômenos da natureza impressionam e encantam aqueles que têm a oportunidade de testemunhá-los. Com origens muitas vezes desconhecidas, estes eventos instigam a curiosidade e a imaginação de quem tenta entendê-los.

Confira, na sequência, seis exemplos de fenômenos naturais raros e fantásticos que você talvez não conheça.

As pedras que se movem

Ninguém nunca viu as pedras se movendo, mas o rastro de seu percurso não deixa dúvidas. O fenômeno acontece no deserto de Death Valley, Estados Unidos, e até hoje não há uma explicação definitiva para o porquê destas pedras de centenas de quilos deslocarem-se pelo deserto.

Alguns pesquisadores acreditam que o movimento é provocado pelos fortes ventos e pela água que desce das montanhas que cercam o local. Essa teoria, no entanto, não explica por que as pedras se movem lado a lado.

Death Valley, Estados Unidos
Foto: travoc

Maré vermelha

As grandes manchas avermelhadas vistas nas águas, que caracterizam o fenômeno da maré vermelha, são provocadas pela proliferação excessiva de algumas espécies de algas tóxicas e surgem ocasionalmente nos mares de todo o planeta.

Apesar da beleza peculiar do fenômeno, suas causas estão relacionadas ao desequilíbrio ecológico. O súbito aumento destas algas ocorre devido a alterações na salinidade, oscilação térmica da água e excesso de sais minerais, provocado pelo despejo de esgoto doméstico nestes locais.

Embora sejam relativamente inofensivas, em alguns casos essas algas liberam toxinas na superfície quem podem colocar em risco a vida marinha.

Maré Vermelha
Foto: carleton

Buracos azuis

Outro fenômeno que impressiona pela beleza e grandiosidade são os buracos azuis, gigantescos abismos subaquáticos que levam esse nome pela tonalidade azul que apresentam quando vistos do alto.

Possuem centenas de metros de profundidade e funcionam, em alguns casos, como entradas para imensas redes de cavernas. O maior deles, o grande buraco azul, localizado em Light House Reef, em Belize, se formou há cerca de 65 mil anos. Nesse período, o nível do mar das Bahamas era até 150 metros abaixo do que é hoje, o que explica o fenômeno. Com a erosão do calcário das ilhas, formou-se a vasta caverna que, com o aumento do nível das águas, foram inundadas, formando o imenso buraco azul.

Buraco Azul
Foto: wikipedia

Nuvens Mammatus

Raras, as nuvens Mammatus são normalmente compostas de gelo e podem se estender por centenas de quilômetros. Surgem a partir do choque entre o ar frio e as camadas mais leves e quentes de ar abaixo dele. Com aparência assustadora, as Mammatus são indicadoras de tempestades e outros eventos meteorológicos mais severos.

Nuvens Mammatus
Foto: wikipedia

Círculos de gelo

Encontrados em superfícies de lagos em locais com baixíssima temperatura, os círculos de gelo são alvo de teorias diversas, que buscam explicações para sua formação. Apesar de intrigantes, cientistas acreditam que sua origem é resultado do movimento circular da água em torno do gelo, que resulta no desgaste uniforme das bordas, formando aos poucos o círculo.

Circulos de gelo
Foto: englishrussia

Aurora Boreal

Caracterizada pelas belas e fascinantes luzes e cores que pintam o céu, a Aurora Boreal, ou Aurora Polar, ocorre quando elétrons provenientes do vento solar interagem com elementos da atmosfera terrestre. Estes ventos solares, quando chegam a Terra, seguem linhas de força magnética geradas pelo núcleo do planeta. Por este motivo o fenômeno pode ser visto apenas nas regiões polares.

A cor da aurora depende do tipo de átomo que colide com elétron e da altitude em que se chocam. Ocorrem durante o inverno, quando as noites são mais longas que os dias.

Aurora Boreal
Foto: urkan